Economia

Poupainvest aborda sobre o peso do salário

O pagamento das contas com o dinheiro disponível e o gasto adequado do salário auferido foram dois dos temas que, no último fim-de-semana, reuniu em vídeoconferência o economista Augusto Fernandes com estudantes de Contabilidade e empregados.

02/06/2020  Última atualização 16H13
DR

De acordo com o sócio-gerente da Poupainvest - consultoria e assessoria fiscal, as famílias depois de terem o dinheiro no bolso referente ao trabalho prestado são, normalmente, confrontadas com um conjunto ilimitado de necessidades e desejos.

Questionado sobre como fazer o salário atender os gastos de um mês até ao seguinte, explicou ser o salário o dinheiro que o agente económico recebe em troca do trabalho prestado.

Desde logo, como as ne-cessidades são ilimitadas e o salário é limitado, levando em consideração que para a satisfação de uma necessidade é, frequentemente, preciso dinheiro, então o agente económico racional não deve catalogar todas as suas necessidades e desejos e escalonar de forma que os gastos não sejam maior que o rendimento disponível.

Augusto Fernandes, licenciado em Economia pela Fa-culdade de Economia da Universidade Agostinho Neto, é o criador de uma plataforma gratuita sobre poupança financeira, a Poupainvest.

Considera que grande parte das famílias de renda média e alta não sabe como gasta os seus rendimentos ou o quanto é gasto em cada grupo de despesas (alimentação, moradia, educação, saúde, lazer, dívidas e juros, viagens e realização de sonhos ou outros gastos e investimentos). Pelo que, uma folha de poupança para anotar as entradas e saídas é indispensável.

Pagar a si próprio

Augusto Fernandes defende que o agente económico ao saber de onde vem e para onde vai o seu dinheiro, ao pagar um salário a si mesmo, ao fazer cortes nos seus gastos e ao aumentar a sua fonte de rendimento, está a garantir de forma sustentável a realização das suas necessida-des e desejos, ou seja, ao gerir de forma eficaz o seu dinheiro, fica muito mais fácil realizar objectivos profissionais e pessoais.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia