Política

Postos de Santa Clara e Oshikango intensificam trocas comerciais e circulação de pessoas

A abertura dos postos fronteiriços de Santa Clara e de Oshikango, que passaram a funcionar 24 horas por dia, desde sexta-feira, vai permitir intensificar as trocas comerciais e a livre circulação de pessoas e bens, no quadro da cooperação existente entre Angola e a Namíbia.

17/06/2024  Última atualização 08H46
Juvelina Imperial considera a medida oportuna para as partes © Fotografia por: DR

A afirmação é da embaixadora de Angola na Namíbia, Jovelina Imperial, que considerou a iniciativa uma grande oportunidade para os empresários dos dois países aproveitarem isso para elevar o crescimento das trocas comerciais e da economia.

Ao intervir na cerimónia de abertura dos postos fronteiriços, a diplomata disse que este passo concorre para que as relações económicas sejam cada vez mais estreitas e fortalecidas, demonstrando um bom ambiente de negócios entre as partes.

Segundo Jovelina Imperial, a população terá tempo suficiente para visitar os familiares, fazer o comércio, tratar da saúde e aumentar o nível de desenvolvimento social das comunidades dos dois países.

O acto de abertura dos postos de fronteira foi co-presidido pelo ministro angolano do Interior, Eugénio Laborinho, e dos Assuntos Internos, Imigração, Protecção e Segurança da República da Namíbia, Albert Kawana.

O posto fronteiriço de Santa Clara é considerado um dos pontos que regista maior volume de trocas comerciais, sobretudo de bens alimentares, vestuário, ração animal, material de telecomunicações e equipamentos para o sector Mineiro.

O Acordo Bilateral sobre a Circulação de Pessoas e Bens entre Angola e a Namíbia foi assinado em 1992, visando a observância da interdependência, os laços interpessoais e o património cultural partilhado ao longo da fronteira comum, bem como a livre circulação num raio de 60 quilómetros de cidadãos residentes na zona limítrofe. A província do Cunene partilha 460 quilómetros de fronteira com a República da Namíbia, dos quais 340 terrestres e 120 fluviais.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política