Economia

Posto fronteiriço de Santa Clara passa a funcionar 24 horas/dia

Elautério Silipuleni | Santa Clara

Jornalista

O posto fronteiriço entre Santa Clara e Oshikango está, desde sexta-feira, a funcionar 24 horas por dia, para responder à demanda de circulação de pessoas e de mercadorias, 34 anos depois da sua abertura oficial.

15/06/2024  Última atualização 09H24
© Fotografia por: DR

O acto foi testemunhado pelos ministros do Interior de Angola, Eugénio Laborinho, e dos Assuntos Internos, Imigração, Segurança e Protecção da Namíbia, Albert Kawana.

Com o lançamento do sistema formal móvel de controlo biométrico da fronteira, os cidadãos de ambos os países que atravessam o posto à procura dos serviços de saúde, educação, comércio e outros nos dois sentidos, passam a fazê-lo ininterruptamente, 24/24 horas.

O ministro do Interior lembrou que o acto de ontem resulta dos compromissos assumidos durante a 21.º Sessão da Comissão Mista Permanente de Defesa e Segurança Angola/Namíbia, representa mais um passo na facilitação da transição de pessoas e bens ao longo da fronteira, permitindo o aumento das trocas comerciais e demonstra o comprometimento de Angola com o desenvolvimento social e económico do país e da região África Austral.

Eugénio Laborinho referiu que o aumento do movimento migratório no posto de Santa Clara vai proporcionar, não apenas o incremento das receitas fiscais de Angola e Namíbia, mas também responde às expectativas das populações locais, na medida em que homens de negócios, turistas e cidadãos comuns vão utilizar livremente este posto.

Aos funcionários que trabalham na fronteira entre Santa Clara e Oshikango Laborinho apelou à dedicação, profissionalismo e rigor na actuaçao, devido ao tráfico de seres humanos, contrabando de combustível, fuga às obrigações fiscais e crimes contra a fauna e flora.

Reforço dos laços históricos e culturais

O ministro dos Assuntos Internos, Imigração, Segurança e Proteção da Namíbia Afirmou que a decisão para o alargamento do horário de funcionamento do posto fronteiriço entre Santa Clara e Oshikango demonstra os fortes laços históricos e culturais entre os dois Estados, desde os primórdios da Independência Nacional.

Albert Kawana disse que os dois países têm agora um desafio por enfrentar, que se traduz na independência económica dos respectivos povos. O funcionamento do posto fronteiriço entre Santa Clara e Oshikango, sublinhou, enquadra-se neste desiderato.

O governante namibiano destacou o facto de aquele posto fronteiriço ser um ponto de convergência socioeconómico e cultural de milhares de cidadãos da Comunidade de Desenvolvimento dos Países da África Austral (SADC), no quadro do comércio transfronteiriço.

 

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia