Regiões

Posto do Luau é fonte de receitas no Moxico

José Rufino | Luena

Jornalista

O governador da província do Moxico, Gonçalves Muandumba, alertou esta terça-feira , no Luau, que a reabertura da fronteira com a RDC não significa o estímulo do contrabando que causa muitos prejuízos à economia nacional.

20/07/2022  Última atualização 10H33
© Fotografia por: DR

Gonçalves Muandumba fez o alerta no acto de reabertura do posto da fronteira entre o Luau (Angola) e o Dilolo (RDC), que se encontrava encerrada desde 2020, na sequência do Decreto Presidencial que estabelecia o Estado de Emergência, no quadro das medidas de contenção e combate à pandemia da Covid-19.

A reabertura do posto fronteiriço, disse, vai reanimar as trocas comerciais e a circulação de pessoas e bens entre dois países de forma ordeira e evitar os "caminhos fiotes".

Apelou ao bom funcionamento dos órgãos afins, no sentido de travar as práticas que concorrem para a instabilidade na fronteira.

O ministro do Turismo de Desenvolvimento da província do Lualaba, na RDC, Tchinhama Mutombo, agradeceu a iniciativa do Executivo angolano na reabertura da fronteira e prometeu que o seu Governo tudo fará para honrar os compromissos existentes.

O chefe da delegação aduaneira do Luau, Ortêncio Yembe, afirmou que o posto fronteiriço do Luau é a principal fonte de arrecadação de receitas na província do Moxico. A sua reabertura, disse, vem alavancar o sector que durante dois anos esteve paralisado.

Angola e a República De-mocrática do Congo partilham uma fronteira terrestre e fluvial de 200 quilómetros, através do município do Luau e do Dilolo (na RDC).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões