Economia

Portugal: Poupanças aplicadas superam o total de 2021

Os certificados de aforro registaram a entrada de 1.487 milhões de euros em novas subscrições durante o mês de Outubro, em Portugal, valor que supera as emissões anuais registadas de 2016 a 2021.

07/12/2022  Última atualização 06H50
Portugal: Poupanças aplicadas superam o total de 2021 © Fotografia por: DR

A procura por certificados de aforro tem-se intensificado nos últimos meses, o que reflecte a subida da euribor a três meses e o, consequente, aumento da taxa de remuneração já que aquele indexante integra a fórmula de cálculo da taxa de juro deste produto de poupança.

De acordo com o boletim estatístico do IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública, as novas subscrições mensais de CA ultrapassaram em Outubro os mil milhões de euros, o que acontece pela primeira vez este ano, fazendo com que o montante de poupança aplicado neste produto some já 4.122 milhões de euros no acumulado dos 10 primeiros meses deste ano. Já as saídas (amortizações) totalizam 570 milhões de euros das quais 78 aconteceram em Outubro.

O montante de poupança aplicado em CA tem vindo a subir de forma consecutiva desde Janeiro, mês em que as novas subscrições totalizaram 95 milhões de euros, o valor mensal mais baixo registado este ano.

Os 1.487 milhões de euros em novas subscrições registadas apenas durante o mês de Outubro ou os mais de 4.100 milhões de euros aplicados em CA desde o início do ano não têm paralelo com a situação observada ao longo dos últimos anos, sendo necessário recuar a 2015 para encontrar um ano em que este produto atraiu um valor superior a mil milhões de euros.

Segundo os dados estatísticos do IGCP, as emissões de CA totalizaram 1.394 milhões de euros em 2015, ano em que a Euribor a três meses entrou em terreno negativo. Em 2016 as novas entradas caíram para 785 milhões de euros e, no ano seguinte, o valor continuou a baixar, havendo registo de 540 milhões de euros de novas emissões cerca de três vezes menos, do que o valor que os aforradores retiraram de CA. Até 2021, segundo mostram os mesmos dados do IGCP, o valor total anual das novas subscrições ficou sempre abaixo da fasquia dos mil milhões de euros.

Os certificados de aforro são instrumentos de dívida criados pelo Estado com o objectivo de captar a poupança das famílias. Têm como característica principal o serem distribuídos a retalho, isto é, serem colocados directamente juntos dos aforradores e terem montantes mínimos de subscrição reduzidos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia