Economia

Porto sinaliza as rotas para Luanda e Mussulo

A operação para a qual o Porto de Luanda contratou a empresa francesa Ocea, nas baías de Luanda e do Mussulo, é de sinalização e não de iluminação, como descreve o título de uma notícia publicada pelo Jornal de Angola na página 10 da edição de domingo último.

23/09/2021  Última atualização 06H20
© Fotografia por: DR
A Administração do Porto de Luanda alertou a nossa Redacção sobre a imprecisão, o que é consistente com uma notícia publicada por este jornal, em Abril, dando conta da  instalação de bóias de sinalização marítima nas baías de Luanda e do Mussulo, para conferir segurança às embarcações, garantindo a conservação e segurança do espaço marinho, bem como evitar acidentes relacionados com a navegação.

O nosso jornal também noticiou o anúncio da adjudicação da empreitada de sinalização à Ocea, no fim de um concurso limitado por prévia qualificação para a aquisição de serviços de fornecimento e instalação de bóias de sinalização marítima das baías de Luanda e do Mussulo.


Ao processo tinham concorrido seis empresas, que adquiriram as peças para participarem no concurso, mas duas foram afastadas na primeira fase por terem as candidaturas enfermadas de causas legais de exclusão ou por não reunirem os requisitos mínimos de capacidade técnica exigidos nos termos da lei e do programa do concurso, tendo sido seleccionadas apenas quatro.


As quatro empresas seleccionadas para a segunda fase foram a Zeni Lite Buoy , Ocea Angola, Geosurveys e Elbro Investment Group, que apresentaram as candidaturas entre os dias 21 e 22 de Dezembro do ano passado.


Durante o processo de avaliação das candidaturas e verificação da documentação apresentada e a sua conformidade com os requisitos mínimos de capacidade financeira e técnica, constatou que apenas a Ocea Angola tinha os requisitos exigidos, tendo-se qualificado vencedora.
A Ocea é uma empresa de capitais franceses com notória implantação internacional, incluindo em África, onde, além de Angola, tem operações em outros países africanos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia