Economia

Porto do Lobito quer reduzir tarifas cobradas no manuseio de mercadorias

A unidade portuária do Lobito (Benguela) prevê separar a tarifa para o tráfego interno e internacional, designadamente, o serviço de transbordo e cabotagem, bem como reduzir as tarifas de transbordo de mercadorias.

16/11/2020  Última atualização 19H45
Infra-estrutura está melhor equipada para atender procura © Fotografia por: Jesus Silva | Edições Novembro
Esta medida consta das recomendações do I Conselho Consultivo da empresa portuária do Lobito, realizada na semana passada, na cidade homónima, tendo os participantes destacado as acções e a necessidade de se garantir que os operadores da cadeia de logística do corredor do Lobito estejam em altura de compreender o mercado mundial, para competir com os concorrentes mais experientes do mercado.

Os quadros defendem a implementação de tecnologias para a concretização do processo da cadeia de logística do Lobito, assim como a desburocratização dos procedimentos de carga em trânsito, por forma a reduzir o tempo de passagem das mesmas pelo Corredor do Lobito.

Na conclusão, os participantes sublinham que se deve assinar e implementar um memorando de entendimento entre Angola e República Democrática do Congo (RDC), com maior destaque para a uniformização das formalidades aduaneiras, a fim de criar o equilíbrio entre a utilização da capacidade instalada com a capacidade de produção das minas.

Recomendam que, nas concessões dos terminais do Porto do Lobito sejam salvaguardados os interesses dos parceiros para o tornar competitivo, além de reduzir o tempo de permanência das mercadorias no recinto portuário, bem como a necessidade de investimentos em máquinas e equipamentos.

Por outra, os participantes d efenderam a sincronização dos projectos de reabilitação e construção de vias ferroviárias e rodoviárias entre Angola, RDC e Zâmbia, além de criarem-se armazéns de grupagens para o corredor do Lobito.
Consta também das recomendações, a necessidade de concluir-se o processo de elaboração do Plano de Ordenamento do Porto do Lobito, elaboração do Plano Director, assim como a actualização do Plano de Desenvolvimento Estratégico do Porto do Lobito.

Uma outra medida, não menos importante, tem a ver com a aprovação pelos participantes ao Conselho Consultivo da criação de uma Comissão composta por técnicos do Porto do Lobito, Ca-minho-de-Ferro de Benguela e a Administração Municipal do Lobito, para a apresentação de propostas e sugestões para a introdução de emendas ao Plano Director do Município do Lobito.

Segundo apurou a Angop, a movimentação de carga diversa no Porto do Lobito cifrou-se em 330.690 toneladas, no terceiro trimestre deste ano, contra as 406.786 toneladas registadas no período homólogo do ano passado, sendo que houve uma variação de 18, 71 por cento no movimento de carga. O cobre, o manganês e plásticos são exemplos de mercadorias em trânsito (provenientes da RDC).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia