Economia

Porto do Lobito consolida o incremento das receitas

André dos Anjos | Lobito

Jornalista

O Porto do Lobito, Benguela, manteve a trajectória ascendente de receitas verificada no início de 2021, tendo fechado o ano com um encaixe financeiro de cerca de 21 mil milhões de kwanzas, um crescimento de 15,32 por cento em relação a 2020.

23/01/2022  Última atualização 07H10
Desempenho económico do Porto de Lobito é influenciado pelo aumento do volume de tráfego © Fotografia por: DR
Os números foram revelados, na sexta-feira, pelo presidente do Conselho de Administração da empresa portuária, Celso Rosas, que associou o incremento das receitas ao aumento da quantidade das tonelagens movimentadas e de navios.

Ao longo do ano, disse, o Porto do Lobito movimentou 401 navios e 1,4 mil milhão de toneladas de mercadorias, um aumento de 27,54 por cento em relação ao volume de carga em 2020 e de 12,95 no que toca ao número de embarcações.
Os serviços que mais receitas geraram, segundo Celso Rosas, são os de estiva simples, com um peso de 28,32 por cento no total das receitas, tráfego, com 30 por cento, e utilização do Porto, com 13,11 por cento.

A empresa pública emitiu os primeiros indicadores de um "bom ano”, ainda no primeiro semestre, quando duplicou as receitas em relação ao período homólogo de 2020, tendo arrecadado oito mil milhões de kwanzas entre Janeiro e Junho, contra os quatro mil milhões do mesmo período do ano passado.

Celso Rosas, que falava na cerimónia de "cumprimentos de início de ano”, lembrou que o aumento de receitas no Porto do Lobito acontece a meio de uma pandemia que afecta todas as economias do mundo e empresas em particular.
Com os resultados financeiros obtidos, disse, o Conselho da Administração colocou ao serviço da dívida junto aos fornecedores da empresa mais de mil milhões de kwannzas. A empresa, segundo Celso Rosas, tem uma dívida acumulada de 15,2 mil milhões de kwanzas, o equivalente a quase metade do valor devido pelos clientes.

A dívida dos clientes, de acordo com o gestor, tem um impacto  significativo na liquidez da empresa, com repercussões, sobretudo, na capacidade de honrar compromissos com fornecedores, situação que o Conselho de Administração procura inverter com o aperfeiçoamento dos mecanismos de cobrança.


Gestão híbrida

Com a concessão do Terminal Polivalente, prevista para o segundo trimestre deste ano, de acordo com Celso Rosas, o Porto do Lobito transita do actual formato de gestão para um modelo híbrido, com a parte estatal transformada em senhorio, tendo como principais atribuições as de regular e fiscalizar a actividade portuária, uma espécie de autoridade portuária.

Para garantir a execução das tarefas reservadas na condição de porto senhorio, a empresa traçou como tarefas imediatas a elaboração de um plano de negócios para os próximos três anos, um manual de procedimentos administrativos, implementar o manual de processos e assegurar a implementação do "software” JUP II, para a gestão do portuária.

A lista de tarefas inclui, ainda, a implementação da Janela Única Marítitima, o melhoramento do Sistema CCTV, no âmbito da segurança portuária, actualização e adaptação de um centro de dados, reorganização da estrutura da empresa face ao processo de concessão dos terminais, implementação do plano de gestão da crise e a elaboração de um plano de organização e gestão das unidades de negócios, no programa de reabilitação do activo da empresa. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia