Economia

Porto do Lobito acelera as obras em centro de piscicultura

Sampaio Júnior | Benguela

Jornalista

O projecto de piscicultura que a Empresa Portuária do Lobito leva a cabo no Perímetro Agrícola da Catumbela, virado ao cultivo e reprodução de peixe, figura entre os que absorvem maior atenção das estruturas ligadas ao sector da Agricultura e Pescas da província de Benguela.

16/01/2022  Última atualização 08H40
Gestores do Porto do Lobito durante a visita às obras © Fotografia por: DR
O projecto que inscreve a construção de sete tanques, seis dos quais para criação e um para reprodução de alevinos, pode ser inaugurado na altura das festas dos 94 anos da empresa portuária, que se assinala a 24 de Março deste ano. Para constatar a evolução da construção dos tanques, uma missão liderada pela presidente do Conselho de Administração em exercício do Porto do Lobito, Maria Madalena, foi ao local da edificação para incentivar o engajamento dos técnicos envolvidos na empreitada.

Maria Madalena afirmou que o projecto visa beneficiar o refeitório da empresa, o mercado local e os parceiros da empresa portuária, para além de propiciar postos de trabalho a jovens dos arredores do município da Catumbela. Para o técnico provincial de Aquicultura da Direcção de Agricultura e Pescas de Benguela, Ildefonso Mucuenje, o projecto do Porto do Lobito constitui uma grande valia, porquanto vai permitir melhorar a dieta alimentar, criar trabalho e combater a pobreza.

O responsável da Aquicultura em Benguela apontou o município do Cubal, Balombo e a Comuna da Canjala como exemplos potenciais do fomento da piscicultura a nível da província de Benguela. A delegação do Conselho de Administração da empresa portuária, que visitou as obras de construção dos sete tanques para o cultivo e reprodução de peixes, na Catumbela, integrou o administrador para a Área Administrativa e Recursos Humanos, Romão Andrade Matoso, e directores das principais áreas da empresa.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia