Mundo

Polónia: Tribunal europeu impõe multa de 1 ME por dia a Varsóvia

O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) condenou hoje a Polónia a pagar uma multa de um milhão de euros por dia até acatar as medidas provisórias de respeito pelo Estado de direito, ordenadas em Julho.

27/10/2021  Última atualização 18H26
Vice-ministro da Justiça, Sebastian Kaleta © Fotografia por: DR
Num comunicado de imprensa, o TJUE sustenta que "a Polónia não suspendeu a aplicação das disposições nacionais relativas, nomeadamente, aos poderes da Câmara de Disciplina do Supremo Tribunal e é, por conseguinte, condenada a pagar à Comissão Europeia uma sanção pecuniária compulsória diária de 1.000.000 EUR”.

Vice-ministro da Justiça polaco, Sebastian Kaleta

O vice-ministro da Justiça polaco, Sebastian Kaleta, criticou hoje a multa aplicada ao seu país pelo Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE), qualificando as decisões do tribunal de "chantagem".

"O TJUE despreza e ignora completamente a Constituição polaca e as decisões do Tribunal Constitucional. Atua fora dos seus poderes e abusa de sanções económicas e outras medidas provisórias”, disse Kaleta, numa mensagem publicada nas redes sociais.

"Esta é a próxima fase de uma operação para impedir a soberania da Polónia (no ordenamento) do seu próprio sistema de Estado, é uma usurpação e chantagem”, conclui o vice-ministro.

O TJUE impôs quarta-feira (27) uma multa de um milhão de euros por dia à Polónia por não ter cumprido a ordem de encerramento da Câmara Disciplinar do Supremo Tribunal em Julho, quando assim foi exigido ao Governo polaco.

Esta é a terceira sanção a Varsóvia, já que anteriormente foi imposta uma multa de 100 mil euros por dia por permitir o corte de árvores na floresta protegida de Bialowieza e outra multa, de 500 mil euros por dia, pela manutenção da mina de carvão de Turów, denunciou pela República Checa pelos seus efeitos poluentes.

Num comunicado divulgado esta quarta-feira (27), o TJUE sublinhou que a medida provisórias ordenadas em 14 de Julho de 2021, é necessária "para evitar danos graves e irreparáveis ao sistema jurídico da União Europeia e aos valores em que assenta esta União, em particular o Estado de direito".

Do ponto de vista de Bruxelas, posteriormente endossado pelo tribunal comunitário, a lei disciplinar polaca mina a independência dos juízes e não oferece as garantias necessárias para protegê-los do controlo político.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo