Cultura

Poemas de Neto ganham vida em monólogo do actor Kiluanje

Roque Silva|

Jornalista

O actor Dionísio Caminha “Kiluanje” estreia, no próximo sábado, 17, no auditório Horizonte Njinga Mbande, em Luanda, o monólogo “Atingi o Zero”, inspirado na sílaba poética homónima do célebre poema “Renúncia Impossível”, de Agostinho Neto.

15/09/2022  Última atualização 07H55
Actor estreia sábado no auditório Njinga Mbande o espectáculo dramático “Atingi o Zero” © Fotografia por: DR

O espectáculo será exibido às 20h00, tem a antestreia marcada para a sexta-feira, dia 16, no Centro Cultural Dr. António Agostinho Neto, no Bairro Operário, em Luanda, na qual o autor deverá manter uma conversa aberta com pessoas da arte de representar sobre o processo de criação, produção e montagem.

Adaptado por Dionísio Caminha "Kiluanje”, em alusão ao Centenário do Primeiro Presidente da República, encenado por David Caracol, o espectáculo resulta de uma pesquisa feita à obra e história de vida do Poeta Maior.

Em declarações ao Jornal de Angola, o actor revelou que o espectáculo teve como base de inspiração alguns poemas de António Agostinho Neto, além do estudo de livros, pesquisas e análises de autores estrangeiros e nacionais sobre a sua vida e obra. Dionísio Caminha "Kiluanje” revelou que encarna a figura de Manguxi e transporta ao palco uma personagem que concebe vida própria às letras, encarnando-as nos três actos subsequentes à partida, as prisões e desterros, bem como o regresso e a proclamação da Independência de Angola.

O actor disse que o público terá a oportunidade ver cenas, que com base em textos, vão, por exemplo, mostrar a sua postura em diversos momentos que marcaram a sua vida, como nas matas e prisão.

Segundo a sinopse da peça, no espectáculo, o actor consegue descortinar uma saída e encontra a vivência explícita dos poemas de Neto, criando uma sequência narrativa lógica, através do casamento de versos dramatizados em poemas seleccionados.

"Atingi o Zero” tem a duração de 40 minutos, monólogo, e o processo de produção contou ainda com Nariosa Pinto (desenho de luz) e Zeka Kekenia (produtor executivo).

Kiluanje  frisou que pretende apresentar o espectáculo em todas as salas convencionais, além das 18 províncias.

O artista abraçou a arte aos 8 anos de idade, declamando um poema, numa actividade escolar, em homenagem a Hoji-ya-Henda”.

Participou, em 1989, com o grupo experimental de dança "Balet Tradicional”, afecto ao Ministério da Cultura, no Festival Nacional de Cultura (FENACULT). Foi membro dos colectivos de teatro Horizonte Njinga Mbande (1989) e Elinga Teatro (2004), com quem viajou pelo mundo em festivais internacionais, entre os quais o festival de teatro de Mindelo (MindelAct), edição 2012.

No cinema, participou como actor nos filmes "Herói” e "Comboio da Canhoca”, de Zezé Gamboa, escreve filmes, argumento, e desempenha as tarefas de produtor, realizador, fotógrafo, iluminação, depois de ter concluído formações nas respectivas especialidades profissionais no exterior e em Angola. Como resultado, Kiluanje publicou cinco documentários e uma curta metragem de ficção.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura