Política

Poder tradicional com novos órgãos

A Assembleia Constituinte das Autoridades Tradicionais, reunida na vila do Úko-Seles, província do Cuanza-Sul, constituiu o Conselho Nacional do Poder Tradicional de Angola (CNPTA), tendo eleito, a seguir, os órgãos sociais do respectivo conselho, substituindo as associações das autoridades tradicionais vigentes.

22/05/2022  Última atualização 12H30
© Fotografia por: DR
A assembleia reuniu um total de 146 participantes provenientes de todo o país, entre reis, sobas grandes e pequenos seculos, e foi testemunhada por membros do Governo Provincial do Cuanza-Sul, com destaque para os directores provinciais da Cultura, Turismo e Ambiente, além de outros convidados.

Assim, foram extintas, desde a última sexta-feira, as associações como Assat, Natral, Kakat, Anandongo, cuja natureza foi considerada extemporânea, tendo a Assembleia Constituinte exigido a apresentação da declaração de desvinculação. Para a Assembleia-geral do Conselho Nacional do Poder Tradicional de Angola, foram eleitos para presidente da mesa, com 104 votos, 21 abstenções e zero contra, o rei José Muachissengue, da região das Lundas, enquanto para vice-presidentes o rei do Bailundo, Isaac Francisco, e o rei Mário Satiponda, do Cunene.

Para secretário da mesa foi eleito o soba grande do Uíge, Miguel Vingu, enquanto o rei do Amboim, Lemos Gerónimo e Mariana Salvador são 1º e 2º vogais, respectivamente. Durante o conclave, o corpo directivo do Conselho Nacional do Poder Tradicional de Angola elegeu o soba grande do Seles, Miguel Filipe Matias ao cargo de presidente de Direcção, o rei do Huambo, Artur Maço, e o rei de Cuando-Cubango, Manuel Dala, assumiram as pastas de vice-presidentes.

Foram igualmente eleitos o soba grande de Luanda, João Adão, ao cargo de secretário, o soba da Quissama assumiu as funções de secretário para as Finanças, enquanto para primeiro e segundo vogais foram eleitos Ernesto Chinduli e o soba grande do Bié, Afonso Wambembe.

A assembleia constituinte elegeu para o Conselho Fiscal o soba grande de Benguela, e para o Conselho Jurisdicional o soba grande do Cacuaco, António Falcão. Para o Conselho de Estudos, Projectos e Produção, foram eleitos o soba grande da Catumbela, Luís Acandeja, soba grande do Sumbe, Augusto Fiteira, soba grande do município de Cassongue, soba grande de Porto-Amboim, Júnior João Tandes.

Por último, a assembleia constituinte elegeu para o Conselho de Comunicação, Marketing e Relações Públicas, o soba do Bié, Domingos Caquinda, Quindumbo da Cunha, Valdemiro Bailundo e Mutximeno Bernardo. O desafio da direcção é proteger os interesses do Conselho Nacional do Poder Tradicional.


Victor Pedro | Seles

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política