Cultura

Pintora Graça Morais recebe distinção este ano

O Prémio Vasco Graça Moura - Cidadania Cultural, no valor de 20.000 euros, distingue este ano, a pintora Graça Morais, com mais de 50 anos de carreira, realçando “o seu percurso cultural, artístico e cívico”, divulgou on-tem o promotor.

04/01/2023  Última atualização 10H36
© Fotografia por: DR

"Desde a sua juventude a artista teve uma permanente participação activa na defesa do humanismo, do respeito pela dignidade humana e dos direitos humanos. Uma ligação muito forte à terra e às tradições populares e uma permanente atenção à dureza da vida e à compaixão têm caracterizado uma assinalável coerência na sua obra”, afirma o júri, ao qual presidiu Guilherme d’Oliveira Martins, sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa.

"Para Graça Morais a cidadania cultural constitui algo de natural e necessário. O seu talento artístico e a escolha dos temas para as suas obras, em estreita ligação íntima, têm sempre subjacente a atenção aos outros e o cuidado relativamente aos mais vulneráveis. A artista e a cidadã estão sempre presentes, o que constitui um singular exemplo no panorama artístico contemporâneo, merecedor de especial reconhecimento”, sublinhou o júri do prémio promovido pela Estoril Sol, em comunicado enviado à agência Lusa.

Este prémio junta-se a várias outras distinções que a artista plástica já recebeu, nomeadamente a Ordem do Infante D. Henrique, com o grau de Grande Oficial, atribuída em 1997, e a Medalha de Mérito Cultural, pelo seu contributo para as artes, atribuída em Março de 2019, pela então ministra da Cultura Graça Fonseca, e o mais recente prémio 'Personalidade do Norte', da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, que lhe foi entregue no final de Novembro.

Maria da Graça Pinto de Almeida Morais nasceu há 74 anos em Vieiro, aldeia no concelho transmontano de Vila Flor. De 1957 a 1958 viveu em Moçambique, no vale do Limpopo, de onde regressou em 1959 para a sua aldeia natal.

Graça Morais é membro da Academia Nacional de Belas Artes e de diversas associações, confrarias e fundações culturais.

O Prémio Vasco Graça Moura-Cidadania Cultura foi instituído pela empresa Estoril Sol, em homenagem à memória do escritor Vasco Graça Moura (1942-2014), nascido há exactamente 81 anos, no Porto, a 3 de Janeiro de 1942.

O galardão foi entregue pela primeira vez em 2016 ao ensaísta Eduardo Lourenço. José Carlos Vasconcelos recebeu-o em 2017, o escritor e investigador Vítor Aguiar e Silva, em 2018, a actriz Maria do Céu Guerra, em 2019, o fadista Carlos do Carmo, em 2020, e, no ano passado, o gestor e jurista Emílio Rui Vilar, ex-administrador executivo da Fundação Calouste Gulbenkian, foi o distinguido.

A cerimónia da entrega do Prémio será "anunciada oportunamente”, conclui a Estoril Sol.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura