Política

PGR vai acelerar 38 processos que envolvem gestores públicos

Fernando Neto | Mbanza Kongo

Jornalista

A Procuradoria-Geral da República no Zaire vai acelerar a investigação dos 38 processos-crime sobre peculato e branqueamento de capitais, que envolvem alguns gestores públicos, garantiu, ontem, em Mbanza Kongo, o novo procurador-geral adjunto da República titular da província, António Espanhol.

15/06/2021  Última atualização 06H00
© Fotografia por: DR

O magistrado, que falava após ser apresentado aos membros do governo provincial, em cerimónia orientada pelo coordenador da Região Judicial Norte, João Coelho, prometeu combater, de forma intransigente, os crimes económicos e financeiros, sobretudo relacionados com o tráfico de combustível.

"Estaremos focados nos crimes económicos e financeiros, sobretudo furtos, roubos, tráfico de combustível, bem como a violência doméstica. Pretendemos colaborar com todos os órgãos que intervêm na administração da justiça na província para melhorar o nosso trabalho”, declarou António Espanhol, salientando que os crimes económicos e financeiros estão na base do atraso do desenvolvimento social do país e contribuem para a "pobreza extrema" de milhares de cidadãos.

O novo magistrado reconheceu ser difícil combater a corrupção, salientando que "serão usados todos os meios possíveis para sermos bem sucedidos". 

Na ocasião, o coordenador da Região Judicial Norte apresentou outros quatro novos magistrados, que doravante reforçam os quadros do sector na província do Zaire, perfazendo um total de 18 magistrados.

O governador do Zaire, Pedro Makita Júlia, pediu aos novos magistrados responsabilidade na aplicação da justiça na região."A justiça é necessária para que possamos viver em paz", apontando o contrabando de combustível e a corrupção como os crimes mais comuns que afectam a região.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política