Política

PGR na Huíla reforçada com oito novos magistrados

Arão Martins | Lubango

Jornalista

Oito novos magistrados do Ministério Público, que ontem iniciaram funções na província da Huíla, foram apresentados aos membros do Governo provincial, em cerimónia orientada pelo subprocurador-geral da República e acompanhante da Região Judiciária Sul, Hernâni Beira Grande.

02/06/2021  Última atualização 08H57
© Fotografia por: DR
Com a entrada em funções dos novos magistrados, a Huíla passa a contar com  29 procuradores, informou Hernâni Beira Grande, para quem, antes, o número de procuradores na província revelava-se insuficiente, tendo em conta a densidade populacional e a demanda processual.

O subprocurador-geral da República titular na Huíla, Gabriel Santiago, informou que os novos magistrados serão colocados nos municípios de Caconda, Caluquembe, Matala e Gambos, salientando que alguns deles devem reforçar as salas Criminal e de Família do Tribunal de Comarca do Lubango, bem como o Serviço de Investigação Criminal (SIC).
Hernâni Beira Grande de-fendeu maior engajamento dos novos magistrados, para que haja  celeridade na actividade processual. "Pretende-se levar os serviços do Ministério Público cada vez mais próximos dos cidadãos e das comunidades", referiu o magistrado, que manifestou a intenção de, nos próximos tempos, as autoridades procederem a abertura dos serviços da Procuradoria-Geral da República no município de Chicomba (220 quilómetros da cidade do Lubango).


Nas localidades onde não existem magistrados do Ministério Publico, a legalidade não funciona e muitos crimes dificilmente chegam ao conhecimento dos órgãos de Justiça, reconheceu Hernâni Beira Grande, que criticou a atitude de alguns quadros que, após serem nomeados e jurarem servir a Pátria, negam-se a trabalhar nos municípios.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política