Economia

Petrolífera em consórcio de produção de renováveis

A petrolífera Sonangol detém uma participação de 30 por cento na exploração da central solar fotovoltaica da Quilemba, instalada no Lubango, com capacidade para gerar 35 megawatts-pico, nos termos de um contrato assinado com a Total Eren e a Greentech e anunciado na quinta-feira.

16/10/2021  Última atualização 10H00
Sonangol tem activos de 50,6 megawatts em renováveis © Fotografia por: DR
O contrato, assinado a 8 de Outubro último, concede participações de 51 por cento à Total Eren e de 19 à Greentech Angola Environment Technology na exploração do Quilemba Solar, de acordo com a nota em que as companhias anunciam o acordo.

O documento declara que a parceria "será fundamental” para a finalização, desenvolvimento e implementação do projecto que, quando entrar em funcionamento, "permitirá poupanças significativas de combustível líquido, se comparado com as centrais térmicas existentes, e aumentará a capacidade de produção de energias limpas no sul de Angola, em linha com a forte ambição do país para o sector das energias renováveis”, acrescenta.

"A assinatura deste acordo representa, por um lado, o fortalecimento da parceria com a TotalEnergies em Angola e a Greentech e, por outro, o engajamento da Sonangol para a transição energética no país e para as preocupações ambientais e de sustentabilidade energética”, afirmou Maria Correia, da comissão executiva da Sonagás, citada no comunicado.

Criada em 2012, a Total Eren desenvolve, financia, constrói e opera centrais de produção de energia renovável (solar, eólica, hídrica) representando um volume bruto de mais de 3.500 MW em operação ou em construção em todo o mundo.

Em África, a Total Eren tem um histórico de 151 MWp de centrais de energia solar atualmente em operação no Egito, Burkina Faso e Uganda. Além de Angola, a empresa está também a desenvolver projetos solares e eólicos na África subsaariana.

A Sonangol instituiu, em 2020, a Unidade Negócios de Gás e Energias Renováveis com o objectivo de desenvolver projectos de produção de energias limpas, detendo 50,6 megawatts na sua carteira de geração de energia limpa.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia