Desporto

Petro volta a assumir à liderança

Honorato Silva

Jornalista

Na liderança isolada do Girabola desde o sucesso no clássico dos clássicos, frente ao arqui-rival 1º de Agosto, o Petro de Luanda conservou ontem, em Benguela, o controlo do topo da tabela classificativa da competição, com o triunfo (1-0), sobre a Académica do Lobito, num dos jogos de destaque da 25ª jornada.

21/06/2021  Última atualização 05H50
Motivação tem sido o factor determinante para os petrolíferos do Catetão às ordens de Bodunha © Fotografia por: DR
 Em velocidade de cruzeiro na corrida à conquista do título, feito que foge há mais de uma década, os petrolíferos do Eixo Viário às ordens de Mateus Agostinho "Bodunha” fizeram da paciência o grande aliado para superar a resistência dos estudantes lobitangas dirigidos por Águas da Silva, preocupados em criar conforto na prova, de modo a evitar o desconforto dos riscos de despromoção.


 Depois de uma primeira parte jogada mais no meio campo, sem grande incidência dos avançados no despique com os defesas, os tricolores regressaram do intervalo decididos em antecipar a vantagem no marcador. Bastaram 10 minutos, para Megue, aos 55, assistido por Picas, apontar o golo solitário que permitiu a conservação da primazia na classificação, com 57 pontos.  
 

Valor do diamante

Em alta competitiva continua o Sagrada Esperança de Roque Sapiri, vitorioso (2-0), sábado, na recepção ao Santa Rita de Cássia. Os diamantíferos da Lunda-Norte reforçaram os sinais de consistência na disputa pela segunda consagração na "fina-flor” do futebol angolano, com vista a melhoria do palmarés, que tem o registo da conquista do Girabola em 2005, sob a batuta de Mário de Sousa Calado.  Entre os candidatos há várias jornadas, a formação do Dundo manteve a pressão aos concorrentes, num sinal claro de que está de corpo inteiro no duelo pelo ceptro, agora com 55 pontos, na segunda posição. Em caso de vitória no jogo em atraso, os lundas assaltam à liderança e, se "Caso Vingumba” tiver um desfecho favorável ao Wiliete de Benguela, no diferindo com o Ferrovia do Huambo, defrontam os tricolores na última ronda como senhores do seu destino.
 

Regresso aos triunfos


O Desportivo da Huíla voltou a vencer, após várias tentativas fracassadas, ao superar o Interclube, por 2-0. Os militares da Região Sul comandados por Mário Soares ultrapassaram os polícias do Rocha Pinto, feito que permite respirar de maneira mais desafogada na competição.


 A fazer pela vida, a Baixa de Cassanje vergou o FC Bravos do Maquis, por 1-0, na fuga dos lugares incómodos da tabela. O Ferrovia venceu o Recreativo da Caála, por 2-1, numa fase em que persegue pontos para a salvação na prova, apesar da confiança no desfecho favorável do problema administrativo, enquanto no Cuito, Cuando Cubango FC e Wiliete empataram sem golos.


 Foram adiados os desafios 1º de Agosto-Recreativo do Libolo, por força da quarentena a que foi submetida a formação de Calulo, afectada por casos de Covid-19, e Sporting de Cabinda-Progresso Sambizanga, face à dificuldade de transportação dos visitantes.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto