Sociedade

Perto de 200 mil quilómetros de terras foram desminados

Casimiro José| Sumbe

Um total de 199 mil quilómetros foi limpo, pelo Instituto Nacional de Desminagem (INAD), na província do Cuanza-Sul, através da detonação de 12 minas anti-pessoais e a destruição de 51 uxos, desde o ano 2021 a Julho último.

02/08/2022  Última atualização 07H10
Muitos engenhos explosivos ainda estão por ser descobertos © Fotografia por: fernando camilo | edições novembro

O chefe de departamento provincial do INAD, Francisco Américo Augusto, explicou, ontem, ao Jornal de Angola, que o processo de desminagem decorreu nos municípios do Seles, Amboim, Sumbe, Ebo, Quilenda e Libolo.

O responsável realçou que o INAD desenvolveu, também, no mesmo período, um total de 18.626 sessões de educação sobre o risco de minas.

Francisco Américo Augusto avançou que, entre os benefícios da desminagem, está a garantia da livre circulação de pessoas e bens, mas, também, na ampliação das áreas para o desenvolvimento agrícola e construções de projectos sociais. Quanto ao funcionamento do INAD, no Cuanza-Sul, adiantou que a instituição ressentiu os condicionalismos resultantes da pandemia da Covid-19 e da crise financeira, por terem retardado o arranque do processo de desminagem nos campos, já identificados, no CIR Capango (município do Sumbe), Morro do Cruzeiro (arredores da Gabela), e na localidade do Torre do Tombo (Porto Amboim).

Desde 2006 até ao mês passado, o INAD na província desminou 434 quilómetros de estradas, 240 quilómetros de extensão de fibra óptica e 238 quilómetros de linhas de transporte de energia de alta tensão. No mesmo período, foram detonados 763 minas anti-pessoais, 34 minas anti-tanque, e destruídos 8.395 Uxos.



 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade