Economia

Peritos regionais reconhecem resultados notáveis em Angola

Hélder Jeremias

Jornalista

Angola figura, ao lado de outros oito dos 16 Estados-membros da SADC, entre os nove países da comunidade que obtiveram resultados notáveis com a implementação de projectos para produção de energia eléctrica, os quais deram lugar a um aumento de 2 781 megawatts (MW), para a actual capacidade total instalada de 70 462 MW.

03/12/2021  Última atualização 09H55
© Fotografia por: DR
Isso foi declarado na Reunião Conjunta de Peritos da Energia e Águas da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) que, na terça e quarta-feira, antecedeu a reunião de ministros realizada ontem, na qual discursou, por videoconferência, o titular angolano do pelouro, João Baptista Borges.

Os peritos afirmaram que os outros países da comunidade com desenvolvimentos igualmente assinaláveis são o Botswana, República Democrática do Congo (RDC), Malawi, Moçambique, Zâmbia, Tanzânia , Namíbia e África do Sul, dando conta de que na actual capacidade total, estão incluídos 1 246 MW produzidos pelos Estados membros insulares tais como o Madagáscar, Ilhas Maurícias e Seychelles.

De acordo com o relatório apresentado na reunião, a capacidade instalada da região é dominada pelas centrais eléctricas a carvão da África do Sul, mas, entre os exercícios económicos 2013/14 e 2020/21, houve uma redução de  74 por cento para 60 por cento desta fonte , enquanto a energia hidroeléctrica manteve-se constante em 21 por cento.

Os recentes investimentos em tecnologias de energias renováveis e em centrais a gás que entraram em funcionamento neste período constituem o principal factor para a manutenção da notória comparticipação das fontes primárias no sistema de electrificação ao nível regional.

O relatório chama ainda atenção para o facto de, no final Setembro do presente ano, os 12 Estados-membros do Centro de Energia da África Austral (SAPP) contarem com uma capacidade instalada de 69 216 MW e uma capacidade disponível de 44 405, numa altura em que o pico de procura e reserva situava-se em 50 074 MW.

"Considerando o pico actual da procura e as margens de reserva da capacidade de produção, a região dispõe de uma capacidade deficitária de produção na ordem de 5 670 MW. Porém, a capacidade excedentária registada em Angola e na Tanzânia  não pode ser acedida por outros Estados-membros devido a uma capacidade de transmissão inadequada e à falta de interligações entre Angola, Malawi e República Unida da Tanzânia aos demais Estados da SADC”, lê-se no relatório.
A Reunião Conjunta dos  Ministros dos Sectores da Energia e das Águas passou em revista temas como os progressos realizados e planos a executar para dar resposta às necessidades energéticas regionais, em conformidade com o Plano Director de Desenvolvimento de Infra-estruturas (RIDMP) do sector energético e o Plano do Centro de Energia da África Austral.

Os ministros abordaram ainda assuntos relacionados com as áreas prioritárias da SADC,  desenvolvimento regional sustentável do sector da Energia e a proposta de criação de um mecanismo de financiamento de infra-estruturas regionais de transmissão de electricidade, entre outros temas de cariz técnico e administrativo.

No que diz respeito ao sector das águas, o encontro esteve voltado para o 5º Plano de Acção Estratégico Regional para a gestão e o desenvolvimento dos recursos hídricos 2021/2025.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia