Economia

Pequenos agricultores recebem formação para gerar bons negócios

António Eugénio

Jornalista

O grupo empresarial Carrinho criou o segmento de apoio agropecuário denominado "Carrinha Agri", que visa apoiar o desenvolvimento dos pequenos agricultores, em matéria ligada à formação técnica com vista a gerar negócios rentáveis, virados para as culturas de milho, feijão, soja, trigo, arroz e algodão.

08/08/2022  Última atualização 09H50
© Fotografia por: DR

Segundo um documento que o Jornal de Angola teve acesso, no projecto, a "Carrinho Agri"  prevê capacitar também os agricultores em áreas de produção e gestão comercial, cuja primeira fase, abrange 175 comunas, distribuídas em 51 municípios, nas províncias de Malanje, Benguela, Bié, Huambo, Huíla e Cuanza-Sul.

Os conhecimentos a serem ministrados vão, também, incidir na concepção e desenvolvimento de programas no âmbito de projectos de criação de gado bovino, suíno, caprino, além de aves e ovos.

 

Ração animal

No segmento da ração animal, o grupo empresarial angolano procura ser uma referência no fabrico e comercialização.

A empresa produz ração animal para diversas espécies, como aves, bovinos, suínos e pequenos ruminantes.

Comercializa, também cereais em formato granulado e farinado.
A empresa vai apoiar produtores domésticos e os de grande porte.

 

Operação logística

O grupo Carrinho criou, também, os serviços de "operação logística" assegurado com mais de 300 veículos, entre ligeiros e pesados.

Por outro lado, a empresa está a construir a terceira cozinha industrial em Luanda, que poderá produzir mais de 18 mil refeições por dia, cuja conclusão e funcionamento está previsto para o próximo ano. Neste momento, são servidas cerca de 600 refeições por mês.

O complexo industrial do grupo Carrinho é composto por 17 fábricas, uma moagem de trigo com capacidade para moer 1.200 toneladas por dia, sendo milho (800) e arroz (240 mil).

Conta, igualmente, com uma fábrica de embalagem com capacidade para 2.500 toneladas por dia, cereais de pequeno almoço 80 toneladas, bolachas e bolos 150 toneladas por dia.

A fábrica de massas tem capacidade para produzir 600 toneladas por dia. A refinaria de óleo alimentar tem capacidade instalada de 800 toneladas por dia, maioneses e molhos 25 toneladas. A fábrica produz ainda margarina, com capacidade para 200 toneladas e leite condensado 100 toneladas por dia.

A fábrica de rações tem uma capacidade para produzir 600 toneladas por dia, sabão (200 toneladas), carnes (40 toneladas) e vinagre (20 toneladas).    

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia