Política

Partidos políticos à conquista do eleitor no Cuando Cubango

Weza Pascoal | Menongue

Jornalista

Os representantes das forças políticas e coligação de partidos, na província do Cuando Cubango, concorrentes às próximas eleições gerais de 24 de Agosto , garantiram, na cidade de Menongue, estarem preparados para “mergulharem” mata adentro, ao encontro das comunidades das zonas de difícil acesso e convencer as pessoas a votarem nos seus programas de governação.

07/08/2022  Última atualização 06H20
Partidos políticos © Fotografia por: Edições Novembro

Cada formação política, a seu jeito e com os meios ao seu alcance, vai procurar convencer os cerca de 300 mil eleitores registados no Cuando Cubango, como que a puxar a "brasa para a sua sardinha”, a votarem para o partido que melhor vender o seu "cacusso”, como se diz na gíria.

Numa ronda efectuada na sede das diferentes formações políticas, o MPLA diz-se pronto e esta semana inicia um périplo que o levará aos municípios de Mavinga, Rivungo, Dirico, Calai e Cuangar, para apresentar o seu manifesto eleitoral e o projecto de governo que tem para o país, caso vença as próximas eleições gerais.

O secretário do Departamento de Informação e Propaganda do Comité Provincial do MPLA, João Yambo Miguel, assegurou ao "Jornal de Angola” que o seu partido tem todos os meios logísticos (alimentação e transportes) para trilhar oLeste e Sul do Cuando Cubango, para apresentar o programa de governação para o período de 2022/2027, que traz um forte pendor económico e social. A UNITA, por sua vez, garante ter a situação sob controlo. Apesar da difícil circulação no interior do Cuando Cubango, o partido do "Galo Negro” assegura que tudo está sob os trilhos, porque melhor que ninguém conhece bem as picadas da região e não haverá deste lado qualquer tipo de problema para que o partido leve a sua mensagem eleitoral e o programa de governação à população dos nove municípios que compõem a província.

O secretário provincial para a Comunicação e Marketing da UNITA no Cuando Cubango, António Cadete, disse que o seu partido realizou às 13 horas de quarta-feira, no bairro Paz, em Menongue, um grandioso acto de massas para homenagear o dia 3 de Agosto, data de nascimento do fundador do partido, que serviu também para, uma vez mais, apelar à população a votar no número "3” do boletim de voto.

Alberto Huambo, secretário provincial do Partido Humanista de Angola (PHA) disse que a presidente Florbela Malaquias passou uma importante mensagem aos seus apoiantes em Menongue. Revelou que em menos de uma semana dezenas de militantes do MPLA, da UNITA e da CASA-CE aderiram às fileiras do PHA. "Vamos arregaçar as mangas, para que a próxima semana comecemos a viajar para o interior da província para apresentar o nosso programa eleitoral e o programa de governação, em caso de vitória nas eleições de 24 de Agosto. Estamos convictos de que na província do Cuando Cubango vamos surpreender pela positiva”, assegurou.

O Partido de Renovação Social (PRS) apenas segunda-feira apresentou o seu manifesto eleitoral e o programa de governação para os próximos cinco anos, um acto que foi antecedido de uma passeata pelas principais artérias da cidade de Menongue e brevemente deve realizar a mesma actividade no Cuito Cuanavale, Cuchi, Calai, Cuangar e Dirico.

De acordo com o secretário provincial do PRS, Samuel Messene, a sua formação política tem vindo a assinalar um crescimento notável de novos militantes, razão pela qual o presidente do partido, Benedito Daniel, agendou para os próximos dias uma deslocação à província do Cuando Cubango, no quadro da campanha eleitoral.

O presidente provincial do P-NJANGO, José Cassanga Mutango, disse que o seu partido tem a máquina afinada para expandir a mensagem da democracia e da boa governação em todos os municípios, comunas e aldeias de toda a zona do Sudeste de Angola, nas quais esperam obter muito apoio. Fez saber que, neste momento, decorrem os trabalhos de preparação para a recepção do presidente do P-Njango, Eduardo Jonatão Samuel "Dinho” Chingunji, que chega na próxima terça-feira à cidade de Menongue, capital da província do Cuando Cubango, onde vai proceder a uma passeata e a um acto político de massas, que terá como objectivo a apresentação do "pressuposto eleitoral”.

O secretário provincial da CASA-CE, a única coligação de partidos políticos concorrentes às próximas eleições gerais, Domingos Matias, também já realizou, no passado dia 30 de Julho, a abertura da campanha eleitoral nesta província e agora está a preparar actos semelhantes para o interior do Cuando Cubango. Garantiu que a CASA-CE já não quer ficar na oposição, mas sim governar o país, para acabar com muitos problemas que afectam os cidadãos angolanos, como o desemprego, a fome, fraca produção agrícola, falta de habitação e uma melhor assistência médica e medicamentosa, aos quais vai pedir para votar "em nós”, para que estes problemas e outros sejam erradicados no seio do povo.

A Frente Nacional deLibertação de Angola (FNLA) é a única formação política que ainda não realizou qualquer actividade política.

Contactado por telefone, o secretário provincial, Samuel Ferro, respondeu que se encontrava em Luanda, a proceder ao levantamento de todo o material de propaganda e prometeu realizar a campanha eleitoral em toda a extensão da província.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política