Política

Partidos devem promover ambiente tranquilo nas eleições

Valter Gomes | Maquela do Zombo

Jornalista

Autoridades tradicionais e religiosas na província do Uíge exortaram os partidos políticos a observarem, durante o pleito eleitoral, os princípios de paz, liberdade e democracia, para garantirem a realização de eleições em ambiente de tranquilidade, “desejando, desta forma, que os eventuais perdedores reconheçam a vitória do vencedor”.

06/05/2022  Última atualização 10H18
© Fotografia por: DR

As respectivas entidades participaram de um encontro promovido pelo Comando Provincial da Polícia Nacional no Uíge, na terça-feira, durante o qual, foram apreciadas questões relevantes no acompanhamento às actividades de pré-campanha, período em que já se registam incidentes entre militantes e simpatizantes de forças políticas.

O rei dos Bayakas, António Muanauta Kabamba, um reino existente há muitos séculos no extremo leste da província do Uíge, disse, à saída do encontro, que as autoridades tradicionais querem eleições livres, pacíficas e que unam o povo, para que, em conjunto, se continue a promover o desenvolvimento do país.

O também membro do Conselho da República reiterou que as forças políticas devem trabalhar para preservar a paz e a harmonia entre a população. "Pedimos, durante o encontro, para os representantes dos partidos políticos, no exercício das suas actividades, irem às localidades trabalhar com o povo, de forma legal e com todo o respeito, transmitindo mensagens construtivas”.

O rei dos  Bayakas apelou, por outro lado, às autoridades tradicionais a desempenharem o seu verdadeiro papel na sensibilização da população, esclarecendo as vantagens de participar nas eleições num clima de paz e harmonia.

As entidades religiosas garantiram que vão intensificar as acções de sensibilização à população nas igrejas e nas comunidades, para que todos os angolanos possam participar, de forma positiva, no pleito eleitoral, ajudando, assim, a definir o caminho para o futuro do país. "A Igreja Kimbanguista orientou os pastores, nas paróquias edificadas em todos os municípios, a mobilizarem os fiéis e a população, para que participem nas eleições com respeito e organização”, pontualizou o reverendo Alberto Lubambi.

O comandante provincial da Polícia Nacional no Uíge, comissário Monteiro Matias dos Santos, apelou aos intervenientes no processo eleitoral a usarem de "bom senso”, para que se observe, efectivamente, a preservação da paz, harmonia social, ordem e tranquilidade públicas, antes, durante e depois das eleições.

Os intervenientes no processo, disse, são todos "obrigados” a manter o diálogo, por ser a via mais eficaz na busca de soluções para se ultrapassar quaisquer eventualidades que venham a ocorrer durante o período eleitoral.

"Reiteramos o nosso pedido para a prática do bom senso, pois, não iremos permitir que a nossa província seja o palco de desacatos. Por isso, devemos, todos, intensificar a sensibilização da população, sobretudo na camada juvenil, apelando à observação de uma postura cívica, voltada à coesão colectiva, por forma a se evitar, assim, pronunciamentos que incitem à violência, desordem e à desarmonia social”, enfatizou o comandante.

A Polícia conta com a colaboração das autoridades tradicionais, religiosas, bem como com a contribuição da sociedade civil, não apenas na denúncia de eventuais situações negativas, mas na promoção de valores que assegurem a tranquilidade.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política