Política

Parlamentares constatam grau de execução do PIIM

Deputados da bancada parlamentar do MPLA avaliaram, nas várias províncias, o grau de implementação do Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), lançado este ano pelo Executivo.

07/10/2019  Última atualização 10H48
Benjamin Cândido | Edições Novembro © Fotografia por: Representantes do povo no Parlamento querem advogar junto do Executivo a necessidade de priorizar projectos sociais no OGE

No Uíge, o parlamentares do partido maioritário constatam, até hoje, as condições de vida dos cidadãos nos municípios, comunas e bairros, bem como aferem o grau de implementação do PIIM.
Os municípios de Negage, Bungo, Bembe, Milunga, Buengas, Quitexe, Sanza Pombo, Damba, Songo, Puri, Maquela do Zombo, Cangola, Quimbele, Mucaba e Ambuila foram, em três dias, visitados pelo grupo de oito deputados, sendo cinco do círculo nacional e os restantes do provincial. O coordenador do grupo, Pedro Conga, informou à imprensa que a visita dos parlamentares ao Uíge insere-se no quadro do programa que visa constatar as principais dificuldades e necessidades dos cidadãos espalhados pelas diferentes localidades da região.
Pedro Conga elegeu como prioritários nas diferentes localidades visitadas questões que têm a ver com a educação, saúde, reabilitação de estradas, habitação, água potável, energia eléctrica, formação profissional, e agricultura.

Obras paralisadas no Bié

O grupo de deputados do MPLA no Bié avaliou o grau de implementação do PIIM e constatou que a maioria das obras em curso na região encontram-se paralisadas por falta de verbas. A delegação que trabalhou no município sede capital da província, Cuito, é chefiada pela deputada Ana Ngunga.
Na empresa chinesa de construção CR20, os funcionários angolanos contratados pela construtora chinesa manifestaram descontentamento pelas péssimas condições de trabalho impostas pelos responsáveis, como falta de alimentação e assistência médica, bem como de equipamento de trabalho.

Benguela

Em Benguela, os deputados do MPLA avaliaram a implementação do PIIM e o grau de execução dos projectos de investimentos públicos nos municípios do Lobito e da Catumbela.
Os parlamentares reuniram-se com o Conselho de Auscultação e Concertação Social, de quem ouviram uma série de preocupações de âmbito social.
A deputada Maria Augusta, do círculo nacional e membro da VI Comissão, garantiu que foram anotadas todas as inquietações, que devem ser apresentadas aquando da discussão do OGE para 2020.
Maria Augusta disse ter gostado das obras visitadas, mas reconheceu haver falta de dinheiro para a conclusão de muitas outras.
“Não obstante a situação de crise económica do país, alguns projectos de âmbito social apresentados podem ser priorizados”, afirmou a parlamentar.
A deputada do MPLA pelo círculo provincial de Benguela e membro da Comissão de Ética, Eduarda Magalhães, disse que a visita serviu para aferir tudo o que está a ser feito nos municípios.

Deputados preocupados com atraso nos projectos

A deputada do MPLA, Emília Carlota Dias, manifestou pre- ocupação com as condições sociais apresentadas pelos habitantes do município de Cacuaco, no âmbito da visita de constatação que o grupo parlamentar do partido MPLA a nível de Luanda efectuou sábado àquela municipalidade.
Ladeada dos também deputados João Luís Neto “Xietu” e Bento dos Santos Kangamba, aquela parlamentar avançou que de todos os municípios que visitou, no âmbito do programa de constatação do grau de execução dos projectos sociais, Cacuaco é o que “relatos mais horripilantes” apresentou, o que constitui motivo de grande preocupação.
Carlota Dias fez alguns reparos sobre o incumprimento na execução dos projectos, uma vez que muitos moradores e membros da sociedade civil apontaram obras que já levam muito tempo para a sua realização, e que até aqui continuam sem solução.
A deputada lembrou a questão da segurança pública, que foi um dos temas mais focados pelos munícipes, considerando preocupante a insegurança que o cidadão comum vive naquela urbe luandense.
“Se nós temos uma força própria que nos protege, a situação do cidadão comum já não é a mesma, pois este, apesar de ter a Polícia na rua, não tem a mesma dimensão de protecção que nós, parlamentares. Daí que este quadro merece ser invertido com alguma urgência”, defendeu.
Bento dos Santos Kangamba, na qualidade de secretário para a Mobilização das Comunidades e Periferia do MPLA e membro do grupo de acompanhamento para o município de Cacuaco, agradeceu a visita dos parlamentares, pois, em seu entender, permitiu fazer uma "avaliação profunda" de como vive a população local e levar essa preocupação às instâncias máximas do país.
Para o responsável partidário, tratou-se de uma “boa visita” dos deputados. “Aqui, regista-se um elevado número de constrangimentos, como o problema das vias terciárias, as inundações e outros”, disse.

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política