Cultura

“Palco do Teatro” exibe peças sobre o quotidiano

Manuel Albano

Jornalista

O Bando Teatral Justiça e Arte exibe, hoje, às 19h00, na Liga Africana, em Luanda, o espectáculo de teatro “Loucas e Porcas”, no âmbito do projecto “Palco do Teatro”, inserido no Especial - Centenário do Festival Nacional da Cultura (FENACULT), para assinalar os 100 anos do nascimento do primeiro Presidente de Angola, Agostinho Neto.

28/11/2022  Última atualização 10H31
Actrizes do Bando Justiça e Arte durante a exibição da peça teatral “Loucas e Porcas" © Fotografia por: DR

O festival, que se prolonga até o dia 1 de Dezembro, tem a participação de 12 grupos, entre os quais o Bando Teatral Justiça que vai apresentar uma peça que incentiva os bons hábitos, em especial entre as mulheres modernas.

"Loucas e Porcas” é o retrato mais caracterizado, na opinião do encenador Alberto Sanzala, sobre o universo feminino, onde as mulheres modernas, dos mais variados estratos sociais, procuram abordar o quotidiano, através de diversos conflitos sobre convicções, anseios e receios e em relação aos homens.

Do elenco constam as actrizes Rosa Kanhama, Beatriz Viegas e Gertrudes Tungo. O espectáculo de teatro é uma mostra hilariante dos princípios impostos pela sociedade capitalista e imediatista, onde três irmãs desafiam o público a reflectir sobre acontecimentos reais, sem tabu nas relações humanas.

O espectáculo, adaptado do livro "Falei-me de amor”, do conceituado actor e escritor francês Michel Quiost, faz uma análise sobre a vida, desde os mais pequenos aos grandes valores morais e éticos. O Bando Teatral Justiça e Arte, que foi fundado em 2002, com a designação de Grupo Teatral Quissunje, pela Comissão de Justiça e Paz da Paróquia Santo André, é composto por professores e alunos do Instituto Superior de Artes (ISART). Desde a criação, o grupo dedica-se à prática do teatro, música, fotografia, dança moderna e literatura.

 

"Vultos e Espinhos”

O grupo Tujinguenji Teatro do Cérebro apresenta, no mesmo dia e espaço, às 20h00, o espectáculo de teatro "Vultos e Espinhos”.

Em declarações, ontem, ao Jornal de Angola, o encenador e autor do texto dramático, Godofredo Pedro, disse que a obra retrata a história de um reino distante do tempo, no qual são executadas canções com alguma carga nostálgica sobre vários acontecimentos que marcaram vários períodos de decadência da humanidade.

A peça, com a duração de 50 minutos, procura trazer alguns elementos importantes sobre a resistência dos povos desfavorecidos, que procuram manter viva a memória dos ancestrais, muitos deles líderes de grande resistência dos seus povos na luta pela liberdade.

A peça é apresentada pelos actores Daniel Heitor, Bianca Valentim, Almiro Fusga e Catilania Borralho. O grupo foi fundado a 4 de Abril de 1994, na Igreja Metodista Unida de Emanuel , e  tem como director Godofredo Pedro, que também é o dramaturgo do grupo.

Tem no repertório as peças "Quando a Consciência Fala”, "Vingança Espiritual”, "Amigo da Onça” , "Paraíso Selvagem”, "Utopias de Agostinho”, "Kissengo”, "Amor é Sofrimento” e "A mesma companhia”. Participou em vários festivais, com destaque para o Festepaz, Circuito Internacional de Teatro (CIT) e os prémios Cidade de Luanda de Teatro.

 

O Herói Inesquecível

Na continuidade dos espectáculos inserido nas festividades do FENACULT e dos cem anos de nascimento de Neto, o grupo Massoxi Teatro exibe, amanhã, na Liga Africana, em Luanda, a obra "O Herói Inesquecível”, que narra a história de vida do Fundador da Nação.

De acordo com o enredo da peça, tudo gira em torno de divergências de uma família de artistas no Prenda. Para descrever as múltiplas facetas da personalidade de Neto, como estadista de renome internacional, Chico Santos, João D’loba, Mana Muhongo e outros personagens dialogam sobre uma das mais carismáticas figuras do nacionalismo angolano.

 

"Casados e Cansados”

No mesmo dia, às 20h00, a peça "Casados e Cansados” é exibida pela Companhia Enigma Teatro. A obra narra os conflitos e desafios dos relacionamentos numa sociedade contemporânea.

A peça, uma sátira, conta a história de um jovem casal que, para resolver os problemas no lar, procura a experiência nos mais velhos. Com direcção artística de Tony Frampênio, o espectáculo tem a duração de uma hora e foca, especialmente, nos problemas diários do casal.

O grupo, fundado a 10 de Setembro de 1999, tem como meta fomentar o gosto e a prática de actividades expressivas e criativas, baseadas numa metodologia motivadora de desenvolvimento humano. Tida como uma academia das artes do espectáculo, o grupo venceu, em 2014, o Prémio Nacional de Cultura e Artes, na categoria de Teatro.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura