Política

Países africanos preocupados com os preços dos alimentos

Xavier António

Jornalista

O aumento dos preços dos alimentos e da energia no mercado internacional constitui uma “verdadeira ameaça” para a segurança alimentar e um “perigo” para os orçamentos de vários Estados africanos, considerou, esta segunda-feira, em Luanda, o especialista em Relações Internacionais Amaral Lara.

29/11/2022  Última atualização 09H07
Professora Laura Pereira e o especialista Matias Pires © Fotografia por: DR

O docente universitário, que falava na Conferência sobre Diplomacia e Segurança Internacional, uma iniciativa da Academia Diplomática Venâncio de Moura, defendeu, por isso, a necessidade do aumento da produção interna ou a criação de estratégias colectivas para atenuar a dependência às exportações.

Amaral Lara disse, igualmente, que com o actual cenário internacional é uma oportunidade para os Estados produtores de petróleo e gás tentarem preencher a lacuna no fornecimento para a Europa e materializar as suas estratégias de diversificação económica.

Ao dissertar sobre "A posição dos Estados africanos face ao conflito da Ucrânia”, o professor entende que, apesar da neutralidade dos países africanos mediante o conflito, estes poderão sofrer consequências.

"Por um lado, devido à neutralidade e, por outro, o diálogo, uma vez que muitas economias africanas dependem dos produtos como o trigo e fertilizantes provenientes da Rússia e da Ucrânia”, acentuou.

Por seu turno, a professora de Ciência Política e Relações Internacionais da Universidade do Minho, em Portugal, Laura Pereira, disse que a guerra na Ucrânia provocou a deterioração do ambiente de segurança na Europa, "o que obrigou as alianças existentes cerrarem fileiras e a encontrarem estratégias múltiplas para lidar com a crescente ameaça russa”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política