Sociedade

País regista mais de mil novos casos de Covid-19

Edna Mussalo

Jornalista

Mais de mil novos casos de Covid-19 foram registados no país, desde o início de Outubro ao dia 14 do mês em curso.

17/11/2022  Última atualização 06H00
© Fotografia por: DR
De acordo o secretário de Estado para a Saúde Pública, Carlos Pinto de Sousa, em Outubro registaram-se 754 novas infecções, quase quatro vezes mais que em Setembro. Nesse período, sublinhou, houve apenas o registo de uma morte.

Carlos de Sousa disse, no entanto, que há uma tendência de o número de contaminações continuar a crescer. Referiu a esse propósito que do dia 1 a 14 deste mês, foi notificado um total de 368 casos, 310 dos quais na província de Luanda. Nas últimas 24 horas, houve um aumento de 32 novos casos.

Falando, ontem, durante a actualização dos dados, no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, o especialista explicou que houve o registo de pequenos surtos entre Maio e Julho, que resultaram na morte de 17 pessoas.

Entretanto, nos meses de Agosto e Setembro não houve qualquer registo de óbitos.

Carlos Pinto de Sousa realçou que a distribuição dos casos acumulados por grupo de idade mantém-se inalterada, com os 30 e 39 anos a concentrar o maior número de infectados. Relativamente ao sexo, o masculino registou maior número de casos, com 58 por cento.

O cumulativo de amostras processadas é de 3.032.670, sendo 104.424 positivas e 2.928.246 negativas, o que corresponde a uma taxa de positividade de 3,4 por cento.

De acordo com o responsável, Luanda é a província com maior número de casos, seguindo-se as do Huambo, de Cabinda, Benguela, Huíla e Zaire, sendo a do Bengo com menos ocorrências de Covid-19.

Medidas

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, apelou à vacinação e ao reforço rígido das medidas de biossegurança para contrapor o aumento de casos de Covid-19 registados nas últimas semanas, lembrando que a pandemia ainda está no país e continua a ceifar vidas e a causar constrangimentos económicos e sociais em Angola e no mundo.

Sílvia Lutucuta disse que o mundo vem registando um aumento significativo da doença, devido à circulação comunitária e fraco cumprimento das medidas de protecção individual e colectiva, bem como da baixa cobertura vacinal em algumas latitudes.

Insistiu no uso frequente das medidas de segurança, como lavar as mãos, o uso do álcool em gel, das máscaras em lugares fechados ou de grande ajuntamento e fora do ciclo familiar.

Sílvia Lutucuta deu a conhecer que a quarta dose da vacina começa dia 21 do mês corrente, nas unidades sanitárias municipais e por equipas móveis, por se ter  já fechado a maior parte dos postos de vacinação de alto rendimento.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade