Política

País recebe 25 milhões de dólares dos Estados Unidos

Mazarino da Cunha

Jornalista

Os Estados Unidos doaram a Angola 25 milhões de dólares para apoiar os trabalhadores da saúde que estão na linha de frente no combate a pandemia da Covid-19, anunciou, quarta-feira(06), em Luanda, a subsecretária de Estado dos Estados Unidos da América.

06/05/2022  Última atualização 09H40
Wendy Sherman fez o lançamento da iniciativa Global VAX © Fotografia por: Contreiras Pipa | Edições Novembro

Wendy Sherman, que falava no acto de lançamento da iniciativa Global VAX em Luanda, disse que o valor financeiro vai também servir para adquirir mais doses de vacinas, ajudar a colmatar as lacunas de informação e desinformações que podem reduzir a confiança das pessoas.

O novo investimento doado pelos EUA, frisou Wendy Sherman, eleva o apoio total de resposta contra à Covid-19, num total de 39 milhões de dólares que Angola já recebeu. 

De acordo com a subsecretária de Estado dos Estados Unidos da América, Angola é um dos 11 países com os quais os EUA vão trabalhar de forma especial, em estreita colaboração, como parte da nossa iniciativa Global VAX.

Uma das razões pelas quais Angola ser um dos 11 parceiros da Global VAX dos Estados Unidos é o facto de ter uma longa história, incrivelmente forte, de trabalho conjunto para fazer face as principais preocupações de saúde em Angola.

Ao longo das últimas duas décadas, frisou Wendy Sherman, os EUA forneceram um total de 630 milhões de dólares para fazer face as necessidades de saúde em Angola e de apoio ao sistema de saúde nacional.

Relativamente ao combate da pandemia, Wendy Sherman disse que Angola teve um sucesso incrível. Por exemplo, Luanda, 77 por cento das pessoas elegíveis para vacinação receberam pelo menos uma dose.

O sucesso de Luanda, referiu, pode ser estendido nas demais províncias do país, com a ajuda da iniciativa Global VAX que acaba de ser lançado na capital angolana.

Além da ajuda no combate a pandemia da Covid-19, frisou a subsecretária de Estado dos Estados Unidos, existe o Plano de Emergência do Presidente dos EUA para alívio da Sida (PEPFAR) que está a trabalhar em parceria com o programa da Primeira Dama de Angola "Nascer Livre para Brilhar”.

No que diz respeito a malária, Wendy Sherman, disse que Angola registou, no último ano, menos 20 por cento de mortes, nas províncias que receberam o apoio dos EUA.  

A ministra de Estado para Área Social, Carolina Cerqueira disse que a iniciativa Global VAX vai juntar-se ao esforço nacional de fazer chegar a vacina a cada cidadão, particularmente nas zonas mais longínquas, com a perspectiva de ampliar a vacinação.

Carolina Cerqueira referiu que Angola está a responder a pandemia através da vacinação num contexto de dificuldades económicas, onde o empenho e dedicação dos técnicos de saúde com  ajuda dos órgãos de Defesa e Segurança, garantiram o sucesso.

 A ministra de Estado para Área Social disse que o apoio do governo norte-americano ao combate a Covid-19 teve início com a doação de oito milhões de doses de vacina da Pfizer que permitiu vacinar 3.8 milhões de pessoas com duas doses.

Ate ao momento, frisou Carolina Cerqueira, já foram vacinados 12.2 milhões de pessoas com a primeira dose e 4.6 milhões com a segunda, numa população avaliada em 18 milhões de pessoas elegíveis.

Carolina Cerqueira referiu que o sucesso no combate a pandemia deveu-se a criação de uma estrutura multissectorial, tecnicamente capacitada que permitiu orientar o Executivo angolano de forma corajosa, rápida e assertiva.

Apesar dos seus efeitos desastrosos na economia e na saúde, lembrou a ministra de Estado,  a Covid-19, acabou por ser uma oportunidade para a melhoria das infra-estruturas físicas, o aumento dos recursos humanos, reforço dos laboratórios de saúde, intensificação da vigilância epidemiológica e da educação em saúde da população.

Carolina Cerqueira aproveitou a oportunidade de agradecer de forma especial o apoio e o envolvimento da USAID ligadas a saúde em Angola, em particular no controlo da Malária do VIH/Sida, bem como no domínio da nutrição infantil.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política