Sociedade

País controla 223 operadoras de gestão de resíduos sólidos

Alberto Quiluta e Manuela Gomes

Jornalistas

Pelo menos 223 operadoras de gestão de resíduos perigosos e não perigosos estão registadas, pela Agência Nacional de Resíduos (ANR), revelou, sexta-feira (28), em Luanda, a presidente do Conselho de Administração da instituição.

29/01/2022  Última atualização 07H50
Gestão de resíduos no país deve envolver as comunidades, para melhor valorização do lixo © Fotografia por: Vigas da Purificação | Edições Novembro
Nelma Caetano, que falava durante o Seminário de Capacitação de Líderes Juvenis sobre o Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos, referiu que essas empresas operam, maioritariamente, nos sectores hospitalar, petrolífero e mineiro.
Neste momento, referiu a PCA da ANR, o país tem muitas indústrias a fazer reciclagem de papel, papelão, plástico e pneus, o que, com a introdução desta economia sustentável, vai ajudar a criar mais empregos para a juventude.

Nelma Caetano avançou que a gestão de resíduos é o ponto de partida para se alcançar maior empregabilidade, uma vez que "a boa gestão permitirá, também, melhor qualidade de vida e saúde pública”.

Sobre o seminário, a responsável salientou que a actividade visa, fundamentalmente, dotar os líderes de competências técnicas no domínio da conservação e tratamento de resíduos sólidos urbanos, para uma melhor gestão dos mesmos e fortalecer o interesse no empreendedorismo neste sector, desde que não se esqueçam as leis.

 Centrais de reciclagem

Nelma Caetano anunciou que o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente está a trabalhar na identificação de locais que permitam a instalação das centrais de valorização, para reciclar os plásticos.

"A ideia é utilizar os plásticos nos termos do princípio de bio-refinação e transformar em biodiesel”, avançou, para apelar que se precisa reflectir sobre a relação do homem com a natureza.

O director-geral do Instituto Angolano da Juventude (IAJ), Yuri Cardoso, considerou que o seminário de capacitação sobre o tratamento de resíduos sólidos urbanos ajudou a mostrar aos líderes juvenis a existência de uma área de empregabilidade.

Yuri Cardoso apelou aos jovens para investirem na área de tratamento de resíduos, tendo em conta os espaços de empregos que abre para catadores, por exemplo, que conhecem a valorização dos resíduos sólidos.

Para prestigiar o seminário, estiveram presentes os secretários de Estado da Juventude, Fernando João, e do Ambiente, Paula Francisco Coelho, e a administradora municipal adjunta do Cazenga para Área Técnica, Madalena Fernandes.
 
Reciclar nas escolas  

Na quinta-feira, a ANR lançou, no município de Belas, em Luanda, o Programa Educar para Reciclar (PEDUR), com vista a saudar o Dia Nacional do Ambiente, que se assinala a 31 de Janeiro.

Apresentado na Escola nº2013 - "Morro do Moco”, localizada na Urbanização KK-5.000, o referido programa visa educar, orientar e ensinar os mais jovens sobre a importância da reciclagem, gestão adequada e como podem reutilizar o lixo na escola e em casa.

Na ocasião, a PCA da Agência Nacional de Resíduos considerou o programa uma mais-valia, por ajudar a consciencializar as pessoas de que o resíduo tem valor.

Nelma Diogo referiu que o programa vai permitir à ANR partilhar com os estudantes conhecimentos sobre as boas práticas na gestão dos resíduos e sua valorização.

Para dar seguimento ao PEDUR foi montada uma oficina de reciclagem na referida escola, onde os estudantes vão levar resíduos saídos de casa e passar parte do tempo a aprender como transformá-los em objectos reutilizáveis.

Como exemplos, Nelma Diogo citou o óleo vegetal usado, que pode ser transformado em sabão, pedaços de madeira, pneus e outros que podem ser transformados em artigos de decoração.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade