Economia

País adopta modelo francês de mobilidade urbana

Angola adopta o modelo francês ou um inspirado nas melhores práticas internacionais para a mobilidade urbana e periurbana do país, à luz de contactos que, depois de um acordo assinado em Maio último, levaram o ministro dos Transportes a receber, em Luanda, representantes da Agência Francesa para o Desenvolvimento (AFD) e da Associação Cooperação para o Desenvolvimento e Melhoria do Transporte Urbano e Periurbano (CODATU).

25/11/2022  Última atualização 12H45
Ministro dos Transportes (ao centro) durante o encontro com representantes da Agência Francesa de Desenvolvimento

Uma nota de imprensa ontem enviada, pelo Ministério dos Transportes, à nossa Redacção, indica que o encontro foi realizado na quarta-feira, marcando o lançamento da implementação do acordo assinado entre as partes em Maio, para a realização de estudos de diagnóstico da mobilidade urbana no país e apoiar as entidades públicas e privadas do sector.

O objectivo prioritário é o de melhorar o sistema de transportes urbanos e periurbanos, com base num programa de cooperação projectado com uma componente de actividades de reforço de capacidades, troca de experiências,  adopção de boas práticas e preparação de estudos para projectos, assim como outra assente no financiamento de estudos e assistência técnica específica.

De acordo com o documento, a CODATU, na qualidade de parceiro técnico, é responsável pela realização dos estudos de diagnóstico do transporte e da mobilidade em Luanda, definindo o perímetro geográfico exacto (cidade ou província) com as autoridades locais.

De igual modo, vai organizar seminários para apresentação dos resultados dos estudos, reunir as entidades locais do sector, desenhar o plano de acção de melhoria do sector e promover encontros entre entidades locais e internacionais.

A nota destaca que as acções da CODATU incluem o apoio específico à reestruturação em curso na Empresa de Transporte Colectivo Urbano de Luanda (TCUL).

A AFD, por seu lado, vai participar na concepção e programação das acções do programa de cooperação, bem como na avaliação dos resultados com o Ministério dos Transportes, gerindo o financiamento dos estudos e a assistência técnica.

 

Tarefas urgentes

O documento cita o ministro dos Transportes, Ricardo D’Abreu, a considerar urgente abordar a questão de uma mobilidade urbana sustentável face aos desafios do crescimento demográfico acelerado das principais cidades do país, com uma resposta que, nas demais províncias, aproveite a parceria com a AFD e a CODATU. Aliás, Ricardo D’Abreu solicitou que as equipas técnicas preparem a realização, no primeiro trimestre do próximo ano, de uma conferência internacional que aborde os desafios da mobilidade urbana sustentável em Angola. O ministro lembrou que, no âmbito da descentralização da Administração Central do Estado, é importante que as estruturas locais cumpram cada vez mais as suas responsabilidades relativas à rede de infra-estruturas de apoio aos transportes definida nos planos de mobilidade.

Além disso, no âmbito do acordo, os especialistas internacionais e técnicos nacionais envolvidos devem identificar modelos de gestão empresarial para o serviço de transportes públicos adaptados à realidade de cada província, exortou Ricardo D’Abreu, considerando que "os operadores precisam de ter um modelo robusto e suficientemente sustentável para responderem às exigências do mercado”.

O director da AFD para Angola, Louis-Antoine Souchet, indicou que o acordo vai permitir o intercâmbio de experiências francesas e internacionais com o objectivo único de apoiar a optimização do transporte urbano em Angola. Além do ministro, participaram no encontro o secretário de Estado para os Transportes Terrestres, Jorge Bengue; directores nacionais e outros responsáveis do Ministério dos Transportes, assim como a delegação francesa, liderada pelo director da AFD para Angola.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia