Cultura

Pai da BD angolano é homenageado

Analtino Santos

Jornalista

O Goethe - Instituto Cultural alemão em Angola inaugura amanhã, às 17h00, no Memorial Dr. António Agostinho Neto, a exposição “Henrique Abranches - Um traço angolano” que fica patente até 31 de Dezembro, enquadrada no Africomics, em parceria com o estúdio Olindomar.

14/10/2021  Última atualização 09H50
© Fotografia por: DR
A exposição tem como curador o artista plástico Don Sebas Cassule e foram determinantes na disponibilização de peças raras, Wanda Lara e Cristina Pinto, ambas amigas de Henriques Abranches.

A exposição é uma homenagear ao homem que é considerado o "Pai da Banda Desenhada Angolana”. Além de desenhador, Henrique Abranches também foi escritor, pintor, antropólogo, arqueólogo e co-fundador da União dos Escritores e da União Nacional dos Artistas Plásticos.
Em "Henrique Abranches - Um traço angolano”, que  será acompanhada por uma publicação, vai ser apresentado uma selecção das obras do homenageado.

O segundo elemento da exposição serão as obras produzidas pelos participantes de uma oficina de Banda Desenhada realizada de 20 a 22 de Setembro último, no MAAN. As obras foram produzidas no âmbito do Africomics, um projecto regional do Goethe-Institut que é realizado paralelamente em 16 países africanos. Participaram jovens artistas interessados em perseguir uma carreira na banda desenhada e aprenderam técnicas artísticas e de comercialização.

Em declarações ao Jornal de Angola, Arno Holl, responsável pela programação do Goethe-Institut,  sustentou a escolha do local da seguinte forma  "o projecto no Memorial além de ter a infra-estrutura ideal para este tipo de actividades, Agostinho Neto e Henrique Abranches eram amigos, assim  é o local perfeito, tanto para a oficina quanto para a exposição”.

Referindo-se à exposição e ao documentário disse: "Tudo começou numa conversa com Abraão Eba, um dos alunos do mestre e surgiu a ideia de também criar uma exposição sobre Henrique Abranches. Entrevistámos diferentes artistas que foram alunos de Henrique Abranches, sobre as suas experiências com ele, a sua visão dele e a sua influência na banda desenhada angolana. Para este fim, vários dos seus alunos foram entrevistados, nomeadamente Abraão Eba, Olímpio e Lindomar Sousa, Lito Silva, Sérgio Piçarra e Carnot Júnior. Uma participação especial foi o escritor Pepetela, amigo de muitas décadas do Henrique Abranches.”

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura