Política

P-NJANGO promete água potável às populações do Ramiros

Ana Paulo

Jornalista

O primeiro vice-presidente do Partido Nacionalista para a Justiça em Angola (P-NJANGO), António Barros, garantiu, quinta-feira (11), em Luanda, implementar uma rede de distribuição de água potável para as comunidades do Distrito do Ramiros, caso o partido vença as Eleições Gerais de 24 deste mês.

12/08/2022  Última atualização 06H40
Partido de Dinho Chingunji intensifica acções de campanha em bairros da capital do país © Fotografia por: | Edições novembro

A promessa foi tornada pública durante a campanha de sensibilização porta a porta desenvolvida pelo político junto dos vendedores e moradores do Distrito Urbano do Ramiros, aos quais falou sobre a importância de votarem, dia 24 deste mês, no Cabeça de Lista do partido (nº 2), com vista a concretização do referido projecto.

 Durante a campanha, que iniciou nas salinas do Benfica e terminou no Mercado dos Ramiros, o político ouviu as principais reivindicações dos moradores, consubstanciadas, sobretudo, na falta de água potável, escassez de produtos básicos e altos preços dos produtos da cesta básica.

Com uma população estimada de cerca de 28 mil pessoas, o Distrito Urbano do Ramiros está localizado no município de Belas, numa área de 85 mil quilómetros quadrados.

 António Barros lamentou o facto de os munícipes do Ramiros não beneficiarem de uma rede de distribuição de água potável desde o tempo colonial, dependendo apenas de cisternas e furos. "Caso o meu partido vença as eleições dedica o primeiro ano de governação à resolução do problema da falta de água potável que afecta a população do Distrito Urbano do Ramiros, a partir do Rio Kwanza”, prometeu o político.

 Sobre a necessidade do combate contra o fenómeno da fome e pobreza apresentada por um munícipe do Ramiros, António Barros respondeu que caso o partido vença as próximas eleições gerais vai, numa primeira fase, subvencionar a cesta básica e iniciar um programa de financiamento aos agricultores, com fundos do sector petrolífero e diamantífero.

"Este financiamento fará com que os produtores aumentem o nível de produção nacional, para garantir auto-suficiência alimentar para atender a população a preços razoáveis”, afirmou.

 Durante o acto os habitantes do Ramiros gritavam por "ondjala”, termo em umbundo, que traduzido para a língua portuguesa significa "fome”. António Barros disse que por esta razão, o P-NJANGO elegeu no seu programa como prioridade, o combate contra o fenómeno da fome.

  Partido Nacionalista promete financiar desempregados

Edmundo Eucílio | Caxito

O presidente da comissão política provincial do Partido Nacionalista da Justiça Angolana (P-NJANGO) no Bengo, Valdemiro Botelho, assegurou, ontem, em Caxito, que, em caso de vitória do seu partido, nas eleições de 24 de Agosto próximo, todos os cidadãos nacionais maiores de 18 anos, terão direito a um subsídio de desemprego no valor de 70 mil kwanzas.

 "As preocupações da juventude fazem parte do nosso programa,

e nós, estamos a prever realizar, nos próximos dias, um encontro de auscultação com essa franja, sobretudo com os jovens desempregados, a quem o nosso partido propõe um subsídio de 70 mil kwanzas por mês”, garantiu o líder do P-NJANGO no Bengo.

 Valdemiro Botelho, que falava ao Jornal de Angola, à margem de uma passeata com dezenas de veículos automóveis e motociclos, na zona da Açucareira, em Caxito, disse que, na província do Bengo o P-NJANGO vai apostar "forte” na reabilitação das vias de acesso às comunas.

 Nesta altura, o P-NJANGO está a formar um total de 614 delegados de listas, credenciados nos seis  municípios da província do Bengo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política