Desporto

Organização supera polémica e críticas

António Júnior

Jornalista

Iniciou este sábado (3) os oitavos-de-final de um dos Campeonatos do Mundo mais polémicos das últimas edições. Entre críticas e elogios, a prova prossegue o curso normal, bastante competitivo e com muitas surpresas.

04/12/2022  Última atualização 14H36
© Fotografia por: DR

Não sendo o mundial da ressaca, isto é, disputado depois de uma época desgastante dos atletas nos respectivos clubes, o Qatar teve a primazia de inaugurar uma nova era na competição. 

Pena é que esta experiência pode não se repetir tão cedo, salvo se a FIFA volte a ter ousadia de "oferecer” a organização da competição a um outro país daquela região com a mesma característica climatérica.

Longe da controvérsia que tem marcado a competição, a verdade é que o Campeonato do Mundo prossegue de forma animada e com alguns candidatos, a partir de ontem a acompanharem, os jogos nas poltronas e não como protagonistas.

Entre surpresas e certezas nas selecções que se qualificaram para os oitavos-de-final, as tristezas e alegria vão voltar a tomar conta do Mundial, sem, no entanto, esquecermos as emoções vividas ao longo da fase de grupos. 

Apesar de toda a polémica, a verdade é que a competição mais falada do momento continua ao rubro e à medida que for caminhando para o seu término, as emoções vão continuar a tomar conta das bancadas dos estádios, ambientes de amigos e familiares.  

De resto, a primeira fase fechou de forma emocionante, e sem tempo para reflexão, a competição prossegue no sistema de perdido fora. Das quatro selecções que entraram ontem em cena, nos oitavos-de-final, duas já fizeram as malas de regresso a casa, EUA e Austrália. 

Até à disputa da grande final, no dia 18, o cenário será este, quem perde arruma as malas. Pena é que nem sempre os melhores vão continuar em prova. Uma particularidade que torna o desporto e, o futebol em particular, um mundo à parte para lá de todas as vicissitudes em volta.

Apesar dos protestos, o Qatar continua a dar exemplo de  uma organização acima da média e quiçá provar aos detractores que o facto de, não implica que... Até ao momento, tudo corre à feição para um país que não tem o futebol como modalidade predilecta.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto