Economia

Organização da FILDA está a bom ritmo, diz ministro da Economia e Planeamento

O ministro da Economia e Planeamento, Mário João, manifestou, nesta quarta-feira, satisfação com o grau de evolução dos preparativos da FILDA, tendo sublinhado que "a organização está a bom ritmo", numa altura em que estão já confirmados mais de 425 expositores directos e indirectos.

29/06/2022  Última atualização 18H45
© Fotografia por: EDIÇÕES NOVEMBRO | ARQUIVO

Dos expositores confirmados, estão cerca de 10 países com stands oficiais, entre eles, da Europa com destaque para Portugal, Itália e Alemanha, da Ásia a China e a Coreia do Sul e do nosso continente a África do Sul e Namíbia.

O ministro da Economia e Planeamento falava durante uma visita de constatação ao pavilhão de Exposições, na Zona Económica Especial, para constatar o grau de evolução dos preparativos para o arranque da FILDA 2022, a 12 de Julho próximo.

"Nesta edição teremos um tema muito importante que é são as tecnologias disruptivas e por isso viemos ver como as stands se estão a preparar para esse desafio", disse.   

De acordo Mário João, esta edição da FILDA vai ser muito atractiva, a julgar pelo número de eventos paralelos à exposição, nomeadamente, o FILDA Talks, a Startup Summit 2022, que podemos considerar a primeira cimeira do empreendedorismo, que vai juntar empreendedores para mostrarem os seu potencial e abordar as oportunidades do mercado angolano.

"Temos muita juventude, com muitas boas ideias, gostaríamos de ouvir essas ideias, o que estão a fazer e mobilizar os bancos para que ´comprem´ essas ideias, para as fazer crescer e as tornar algo mais sustentável e de modos participarem do processo de produção nacional”, destacou.  

O ministro revelou igualmente que estará disponível na 37ª Edição da FILDA o serviço Feito em Angola, que passou "por um processo de reestruturação para se tornar mais atractivo às empresas e principalmente dar dignidade aos nossos produtos cujo número é cada maior”.

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia