Economia

Operadores pagam veículos a menos da metade do preço

Victorino Joaquim

Jornalista

As 500 carrinhas destinadas a apoiar o escoamento de produtos do campo para os grandes centros de consumo, que começam a ser distribuídas a partir da primeira quinzena de Agosto, terão um custo de 40 milhões de kwanzas, mas os operadores pagam, por veículo, um valor inferior a 10 milhões de kwanzas.

27/05/2021  Última atualização 09H36
Cerca de 200 operadores candidataram-se às aquisições © Fotografia por: Edições Novembro
A informação foi avançada ontem, em Luanda, pelo director nacional do Comércio Rural, Allan Varela, durante uma conferência de imprensa realizada para dar a conhecer os desenvolvimentos do processo até ao encerramento da fase de recepção de propostas de fornecimento, que ocorreu ontem.

De acordo com Allan Varela, com a facilitação, os operadores de transportes de mercadoria interessados em adquirir as carrinhas, pessoas singulares ou cooperativas, deverão pagar 9,6 milhões de kwanzas por veículo, em prestações mensais de 200 mil kwanzas ao longo de quatro anos.
Allan Varela referiu que as carrinhas serão disponibilizadas individualmente, por cada operador interessado, através do Fundo Activo de Capital de Risco Angolano (FACRA), no quadro de um processo coordenado pelo Ministério da Indústria e Comércio, envolvendo outros organismos, incluindo os Governos Provinciais, que participarão na selecção dos beneficiários.

Até ao momento, a nível nacional, foram registadas 485 candidaturas de operadores de transportes de mercadorias.

Experiência piloto

Durante a conferência de imprensa, que contou com a participação do coordenador da Comissão de Reestruturação do FACRA, Teodoro Pulsoun, o director nacional do Comércio Rural deu a conhecer que, numa primeira fase, em regime de experiência piloto, sete províncias foram seleccionadas para as transacções, nomeadamente, Cuanza-Sul, Cuanza-Norte, Malanje, Benguela, Namibe, Bié e Huambo.

Cada província contemplada na fase piloto vai receber 33 viaturas, embora a Huíla e Uíge fique com 37 viaturas cada, enquanto que Luanda vai receber a maior quantidade, cerca de 47 viaturas.
Estas últimas províncias, disse Allan Varela, vão beneficiar de maior número de viaturas por serem as maiores praças e onde se registam grandes transacções económicas. As outras 11 recebem 20 carrinhas, estabelecidas nas regras do processo como veículos todo-o-terreno do tipo 4x4, com capacidade de 6,5 toneladas.

As viaturas terão estampados números de contacto telefónico para que, em caso de não cumprimento do dever para o qual  foram atribuídas, a população possa fazer denúncias.

Encerramento do concurso

Allan Varela insistiu em que, com o encerramento da fase da recepção de propostas para o concurso público destinado às concessionárias automóveis, terminou, também, e etapa a isso correspondente no concurso de Aquisição de Serviços de Gestão de Frota por GPS, processos anunciados oficialmente a 1 deste mesmo mês.
O concurso que visa a aquisição das carrinhas contou com a participação de 38 concorrentes, enquanto ao relativo aos serviços de gestão de frota por GPS concorreram 22.


Para os dias 8 e 9 de Junho está prevista a realização de leilões para apurar as propostas economicamente mais viáveis, lembrou o director nacional, reafirmando que o  Executivo emprega 25 mil milhões de kwanzas nos dois concursos públicos lançados  pelo Ministério da Indústria e Comércio.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia