Economia

“Operação Baixa de Preços” detecta 273 infracções em Luanda

Ana Paulo

Jornalista

A Autoridade Nacional de Inspecção e Segurança Alimentar (ANIESA), no âmbito da “Operação Baixa de Preços” referente ao mês de Maio, registou 273 infracções, das quais 45 estão ligados a especulação de produtos alimentares, em sete dos nove municípios da província de Luanda, anunciou ontem, em Luanda, o inspector-geral da instituição.

08/06/2021  Última atualização 12H05
As actividades inspectivas em várias lojas resultaram na baixa de preços com uma variação de 1.000 a 2.475 kwanzas © Fotografia por: Alberto Pedro | Edições Novembro
Cristiano Francisco disse que, a falta de estrutura de cálculos, facturas de aquisição e especulação de preços, branqueamento de capitais, fuga ao fisco, duplicação de facturas, cobrança incorrecta do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), bem como a venda de produtos impróprios para o consumo humano, constituíram as principais infracções registadas. A operação que teve início no dia 5 de Maio, permitiu numa primeira fase, o registo de 205 inspecções tendo sido notificados 159 estabelecimentos comerciais. Revelou que existem  fortes indícios de suspeitas sobre a especulação de preços, tanto no mercado informal como formal, o que motivou as autoridade a accionar os Serviços de Investigação Criminal para "pesquisar profundamente" sobre os casos já detectados, número que tende a ser ultrapassado. Variação de preços

As actividades inspectivas durante o mês de Maio, resultaram na baixa de preços com uma variação de 1.000 kwanzas a 2.475.Dos produtos que viram os preços baixar está o arroz, com a marca Jaguar e Bsrat, que anteriormente era comercializado ao preço de 12.400 kwanzas agora custa 11.362 kwanzas. O saco de feijão de 25 quilos (Pinto) com custo de 28 mil passou para 26 mil kwanzas. A caixa de óleo vegetal (Alimo) que era comercializado a 14 mil kwanzas, passou para 13.800. O açúcar (Usina de 50 quilos) de 26.972 kwanzas para 24.500. A caixa de coxa  (USA) é agora vendida a 8.011 kwanzas, contra 9.603.Cristiano Francisco advertiu os comerciantes que estiverem à margem da Lei na busca do lucro fácil, a regularizem as sua acções, baixando os preços dos produtos da cesta básica, sob pena de lhes ser instaurado processos-crime e processos administrativos, cuja multas variam entre 1 milhão e 500 milhões de kwanzas".

Solicitou a máxima colaboração dos consumidores na denúncia de casos de subida de preços sem justificação plausível."Apelamos mais uma vez os comerciantes a não especularem os preços, bem como a cumprirem escrupulosamente com as Leis vigentes, sob pena de sentirem o peso da Justiça", sublinhou. A "Operação Baixa de Preços” contou com a participação de 93 efectivos, divididos em 32 brigadas que trabalham em conjunto com ANIESA, em coordenação com a direcção de Combate aos Crimes Económicos e Contra a Saúde Pública dos Serviço de Investigação Criminal (SIC), e a Direcção Anti-Fraude da Administração Geral Tributária (AGT).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia