Economia

Opção pelas taxas mais baixas gera poupança

A utilização de bancos que operam com taxas de câmbio mais baixas pode resultar na poupança de 1.200 euros por ano, em transferências mensais desse mesmo valor para cobrir operações de ajuda familiar, de acordo com cálculos baseados em números publicados pelo BNA.

06/08/2020  Última atualização 21H39
DR

Na semana passada, a média da taxa de câmbio de venda do euro mais alta foi superior em 7,36 por cento à mais baixa, uma aceleração face ao período precedente, quando isso representava 5,81 por cento.  Uma extrapolação aritmética desses números indica que é possível economizar até 1.200 euros por ano, ou enviar mais um mês pelos bancos mais baratos, em comparação com os mais caros.

Em 2019, segundo números do relatório da Deloitte “Banca em Análise”, os resultados das operações cambiais apresentam um peso sobre o produto da actividade bancária de cerca de 44 por cento.  Isso significa que, em cada 100 kwanzas gerados pelos bancos, 44 kwanzas correspondem a proveitos de operações cambiais, que incluem a reavaliação dos activos denominados em moeda estrangeira, bem como os resultados da venda de divisas aos clientes.

Naquele ano, declara o documento, os proveitos das operações cambiais superaram, até, o peso dos empréstimos ao Estado, que representou algo como 34 por cento do total do activo do sector bancário.  O crédito líquido concedido pelos bancos, segundo a fonte, caiu 10 por cento no ano passado, acentuando um comportamento iniciado em 2016, registando agora uma redução acumulada de aproximadamente 18 por cento.

O que o relatório não diz taxativamente é se operadores bancários tendem a compensar a estratégia de retracção da concessão de crédito, com a maximização de ganhos no mercado cambial.  Uma fonte deste jornal apresentou cálculos que apontam para uma cobrança de chamadas “despesas de transferência” de 10 por cento sobre as operações de mil euros

“Temos de começar a indagar o BNA quanto à permissão dos bancos praticarem as margens que bem entendem, sabendo que temos um ambiente onde a procura de moeda é maior que a oferta”, declarou a fonte.

Na verdade, em Outubro do ano passado, o BNA eliminou do limite de 2,00 por cento imposto sobre a venda de divisas pelos bancos comerciais, deixando o kwanza flutuar com base no equilíbrio da procura e a oferta de moeda estrangeira.

Diferencial da semana

A média da diferença entre a taxa de câmbio de venda do dólar mais alta e a mais baixa, acumulada de segunda-feira até ontem, é de 5,06 por cento, com o Banco de Negócios Internacional (BNI), o que em relação ao euro situou-se em 4,89 por cento.  Nesse período, o Banco de Negócios Internacional (BNI) ofereceu o dólar a 606,761 kwanzas, contra os 577,530 kwanzas a que o Banco Comercial Angolano (BCA) vendeu a moeda norte-americana.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia