Economia

ONU premeia Lesoto, Egipto e Brasil por investimentos sustentáveis

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) premiou as agências de promoção de investimentos do Lesoto, Egipto e Brasil pela excelência na promoção de programas sustentáveis na agricultura, contribuindo para a segurança alimentar e o desenvolvimento.

22/11/2022  Última atualização 08H26
© Fotografia por: DR

A Lesotho National Development Corporation ganhou o prémio por sua iniciativa de lançar o Maluti Fresh Market Produce, uma instalação completa de marketing e manuseio de produtos.

A nova plataforma comercial visa capacitar os agricultores locais registados, que são predominantemente mulheres, facilitando seu acesso aos mercados e financiamento e, assim, dando apoio na transição da subsistência para a agricultura comercial.

O mercado promoveu o investimento de pequenos agricultores na produção de frutas e legumes locais, reduzindo a dependência de produtos importados e proporcionando melhor nutrição às escolas do Lesoto, que agora têm um local centralizado para aquisição.

Egipto destaca-se

A Autoridade Geral de Investimentos e Zonas Francas do Egipto recebeu o prémio por facilitar a Canal Sugar Company, uma joint venture entre investidores da indústria açucareira dos Emirados Árabes Unidos e do Egipto.

O projecto está alinhado com a visão de desenvolvimento sustentável do Egipto até 2030 para alcançar a segurança alimentar enquanto se adapta às mudanças climáticas usando sistemas agrícolas inteligentes.

O projecto que deve gerar 50 mil empregos visa tornar o Egipto auto-suficiente na produção de açúcar. Inclui uma academia de treinamento para agricultores locais para ajudá-los a aumentar seus rendimentos e minimizar o uso de água e fertilizantes.

 

Projecto ScaleUp

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, Apex-Brasil, recebeu o prémio por seu projecto ScaleUp, criado para atrair empresas internacionais de tecnologia, fornecendo serviços de negócios e oportunidades financeiras.

O programa realizado em parceria com a Israel Trade and Investment, a Japan External Trade Organization e a Enterprise Singapore facilitou o estabelecimento de 15 empresas no Brasil.

Entre elas, startups de agrotecnologia que ajudam com ferramentas e sistemas tecnológicos inovadores para optimizar a produção agrícola, detectar rapidamente pragas e doenças e contribuir para uma agricultura resiliente ao clima.

 

Crise de alimentação

Os efeitos da guerra na Ucrânia, as interrupções na cadeia de suprimentos relacionadas ao Covid-19, as inundações e secas arrasadoras causadas pelas mudanças climáticas desencadearam uma crise alimentar global.

Para a UNCTAD, a Iniciativa de Grãos do Mar Negro, apoiada pela ONU, trouxe algum alívio, mas são necessárias soluções de longo prazo para lidar com a escassez global, especialmente nos países em desenvolvimento.

A secretária-geral da agência, Rebeca Grynspan, ressaltou o desafio que o mundo enfrenta. Ela disse que "a actual crise alimentar pode transformar-se rapidamente em uma catástrofe alimentar de proporções globais em 2023”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia