Política

ONU anuncia novos subsídios para o país

Edna Dala

Jornalista

O Sistema das Nações Unidas em Angola anunciou, quarta-feira(22), novos subsídios para reforçar as áreas de apoio social, com destaque para as populações mais vulneráveis do país.

23/06/2022  Última atualização 09H20
Ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira © Fotografia por: Contreiras Pipa | Edições Novembro

A informação foi avançada pela ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, no final de uma audi-ência, à porta fechada, com a coordenadora residente do Sistema das Nações Unidas em Angola, Zahira Virani.

Sem entrar em detalhes sobre o subsídio, Carolina Cerqueira realçou que outras áreas estão a ser desenvolvidas de forma muito "holística e coordenada”, para contribuir na coesão social, inclusão das populações e na estabilidade familiar.

Estes passos, acrescentou, vão impulsionar o desenvolvimento humano e sustentável das populações e garantir a estabilidade para permitir às jovens gerações, no futuro, um emprego e uma vida com menos dificuldades e acesso a uma formação permanente.

Os subsídios, adiantou, serão aplicados em áreas já existentes, como a nutrição, as vítimas da fome, Saúde, empoderamento das mulheres, assistência social, Covid-19 e outras que poderão surgir como os desastres naturais.

Durante o encontro que serviu para abordar, de for-ma precisa, a questão da seca na região Sul do país, Carolina Cerqueira disse que foi muito motivador, pelo facto de Virani ter manifestado satisfação pela cooperação e colaboração existentes entre o Executivo e a Agência das Nações Unidas, em particular, na área social.

O Governo e as Nações Unidas, referiu, têm colaborado em vários domínios, desde a Saúde,  Educação, o empoderamento das mulheres, o combate à seca,  nutrição e outras áreas importantes que fazem parte do programa social do Executivo.

O Sistema das Nações Unidas, através dos países membros, com realce para os doadores, tem prestado um forte apoio social ao Executivo para a consecução dos programas em curso.

Os mais de 15 milhões de dólares citados pela coordenadora residente, disse, têm sido implementados em projectos concretos e desenvolvidos pelos organismos das Nações Unidas, tanto pelo PNUD como pela OMS, UNICEF ou  pela Organização das Migrações para o apoio aos deslocados do ACNUR.

"Toda essa ajuda financeira, em programas e assistência, é muito bem vinda para o Governo angolano e tem permitido que nos afirmemos ao nível do Sistema, como um país que tem boas relações com o Sistema das Nações Unidas", destacou Carolina Cerqueira.

Por seu turno, a coordenadora residente para o Sistema das Nações Unidas em Angola, Zahira Virani, disse que estão a ser mobilizados mais recursos para apoiar os projectos e programas sociais no país.

A título de exemplo, disse que as Nações Unidas têm nas contas de emergência (utilizadas até ao momento) 11 milhões de dólares. Mas existem outros parceiros como a França, Japão, Inglaterra e União Europeia que estão a contribuir com milhões de dólares.

"Estamos a juntar os nossos recursos com os do Governo e outros parceiros para dar uma resposta satisfatória”, acrescentou. Na ocasião, Zahira Virani reiterou o apoio das Nações Unidas, bem como do sistema e agências em servir o povo angolano, frisando que a grande meta da Organização é o desenvolvimento dos angolanos e de Angola.

"Trabalhamos através de uma parceria com as autoridades angolanas e trabalhamos de uma maneira muito estreita com o Governo a nível nacional, provincial e municipal", explicou. Para a coordenadora, o que importa é que todos juntos alcancem a meta comum, que passa pelo desenvolvimento sustentável, inclusivo e equitativo para os angolanos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política