Regiões

ONG promove no Uíge jornadas sobre situação de viúvas e órfãos

António Capitão | Uíge

Jornalista

A situação social e económica de viúvas e órfãos está em análise nas primeiras jornadas de reflexão promovidas pela Organização Não Governamental (ONG) Acção Angolana de Apoio às Verdadeiras Viúvas (ANGOAVI), que decorrem na província do Uíge, em alusão ao Dia Internacional Pela Não Violência, Dia Mundial da Mulher Rural, Dia Mundial da Alimentação e Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, assinalados nos dias 2,15, 16 e 17 deste mês.

26/10/2022  Última atualização 11H44
Um ângulo da cidade do Uíge. © Fotografia por: Edições Novembro

A abertura das jornadas de reflexão sobre a situação socioeconómica da mulher rural e dos órfãos teve lugar no anfiteatro do Instituto Médio Agrário de Negage (IMAN), na cidade de Negage, estando, também,  agendadas várias acções, até ao próximo dia 28.

O director executivo da ANGOAVI, Benjamim Matangui, que fez a abertura das jornadas de reflexão disse que o objectivo é encontrar soluções para os problemas que afectam  viúvas e órfãos, bem como pessoas em situação de vulnerabilidade.

Benjamim Matangui sublinhou que a ANGOAVI tem como campo de intervenção a advocacia social, a construção da dignidade humana, empoderamento das viúvas, formação profissional de órfãos, educação sexual das adolescentes e famílias órfãs, educação inclusiva, empreendedorismo e inovação.

"A ANGOAVI, no âmbito da sua acção de construção da dignidade humana, desenvolve, junto das famílias chefiadas por viúvas, projectos de inclusão produtiva e geradores de rendimentos. Cria, nas comunidades, centros profissionalizantes para órfãos e outros membros e se engaja na mitigação do abuso sexual e gravidez precoce, através da educação sexual”, disse.

O director executivo da ANGOAVI apontou ainda a participação no processo de redução das despesas com a saúde, a contribuição na poupança de até quatro dólares em cada 10 dólares norte-americanos investidos para a construção de poços de água em várias regiões do país, a participação na redução da taxa de abandono escolar e o apoio financeiro aos empreendedores, como outras acções desenvolvidas.

A directora municipal da Acção Social, Família e Igualdade do Género, Marcelina Mavu, destacou as acções desenvolvidas pela ANGOAVI na província do Uíge e apelou no sentido de a ONG readaptar os seus programas de educação e formação de mulheres no meio rural.

"O contexto socioeconómico actual do país é diferente e obriga os intervenientes a buscar soluções para os problemas das viúvas e órfãos. A Administração Municipal de Negage tem acompanhado, com preocupação, a situação da mulher rural e das zungueiras, que enfrentam muitas dificuldades para sustentar as suas famílias, por isso temos implementado projectos de apoio”, disse Marcelina Mavu.

Durante cinco dias, será promovido um ciclo de palestras na cidade do Negage e instituições de ensino superior, onde vão estar em debate temas ligados à alimentação e inclusão produtiva, violência face ao abuso sexual e gravidez precoce, à gravidez precoce face à saúde da mulher e as causas e efeitos da pobreza extrema em famílias chefiadas por viúvas

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões