Mundo

Observadores validam resultado das eleições

António Canepa

O chefe da missão de observadores da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC), às eleições presidenciais de São Tomé e Príncipe, o antigo Primeiro-Ministro do Tchade, Nagounda Yamasoum, deu nota positiva à votação, considerando que decorreu sem incidentes, e apelou a todos os candidatos a aceitar os resultados.

21/07/2021  Última atualização 08H10
Contagem dos votos continua em diversas Assembleias de Voto espalhadas pelo país © Fotografia por: DR
Segundo o chefe da missão, "no geral” as eleições, realizadas domingo, "decorreram de forma tranquila e ordeira”  em todo o território nacional.
As quatro missões, nomeadamente  CEEAC, União Europeia, Fundação Carter da CPLP e do Japão,  felicitaram o Executivo são-tomense pela forma como preparou e conduziu o processo eleitoral.

A Comissão Eleitoral Nacional (CEN)  publicou, ontem, os resultados provisórios, que reconfirmam  que Carlos Vila Nova, apoiado pelo partido Acção Democrática Independente (ADI) e  Guilherme Posser da Costa do MLSTP-PSD, como os candidatos mais votados. Ambos vão disputar a segunda volta das eleições, a decorrer no próximo dia 8 de Agosto.

Segundo os resultados provisórios, divulgados pelo presidente da Comissão Eleitoral Nacional, Fernando Maquengo, Carlos Vila Nova, obteve  o maior número de votos,  39,47 por cento dos escrutinados,  seguido por  Guilherme Posser da Costa, com cerca de 20, 75 por cento. Ambos  vão disputar a segunda volta no dia 8 de Agosto.

Na segunda-feira, após a divulgação dos resultados,  apoiantes  de Carlos Vila Nova  fizeram passeata em várias artérias da cidade capital, que se prolongou noite adentro, para comemorar o primeiro lugar alcançado pelo seu candidato.
Por seu lado, Delfim Neves, candidato do Partido da Convergência Democrática (PCD),  que ficou na terceira posição, com 16,88 por cento dos votos, mostrou-se "indignado pelos resultados” alcançados, avançando que vai recorrer  por  ter havido "uma fraude massiva”.

"Vamos contestar estes resultados, porque não reflectem todo o trabalho que desenvolvemos ao longo dos três meses de pré-campanha e campanha eleitoral nas comunidades”, advertiu.
 Ontem, a cidade de São Tomé viveu uma acalmia total; as lojas e todos os serviços funcionaram com normalidade, enquanto decorre a contagem dos votos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo