Sociedade

Obras Públicas abrem 28 mil novos empregos

O sector da Construção e Obras Públicas criou, nos últimos dois anos, 28 mil novos postos de trabalho e emitiu 1.600 títulos habilitantes para as empresas, revelou, ontem, em Luanda, o titular da pasta, Manuel Tavares de Almeida.

22/11/2019  Última atualização 10H25
Edições Novembro © Fotografia por: Mil e seiscentas licenças para a construção foram emitidas a empresas do ramo

A informação foi prestada durante a comemoração do 5º aniversário do Instituto Regulador do Sector da Construção Civil e Obras Públicas (IRCCOP), realizada sob lema “Excelência de serviços focados no cidadão e na criação de um ambiente de negócios próspero e sustentável”.

Manuel Tavares de Almeida disse que o sector está empenhado em ultrapassar a questão da desburocratização, modernizar os métodos de trabalho, tornando mais célere a resolução dos processos.
“Devemos ser criativos, procurando associar os programas de investimentos públicos ao sector privado, no sentido de incentivá-lo a investir os seus capitais na resolução de projectos públicos, em que as condições de investimento sejam de facto atractivas”, disse o ministro.
De igual modo, sublinhou que se deve abrir mais espaços e facilidades para o investimento de projectos privados que contribuam para o crescimento e desenvolvimento do país e que se traduzam em criação de emprego e receitas fiscais para o Estado.
Manuel Tavares de Almeida chamou atenção dos responsáveis do sector, lembrando-os de que o país precisa se unir pela mesma causa nacional, que está acima de qualquer interesse particular. "Penso que só assim teremos capacidade de poder criar uma Angola melhor”.
Segundo o ministro, o contexto adverso prevalecente, interno e externo, tem condicionado substancialmente o desempenho económico e social do país, com consequências funestas para o emprego, rendimento e o bem-estar das populações.
“Este facto tem requerido do Executivo um esforço gigantesco para reverter o quadro macroeconómico e concomitantemente resolver os problemas dos cidadãos”, disse, argumentado que o sector da Construção e Obras Públicas possui um forte potencial para actuar como elemento catalisador de um crescimento mais abrangente e transversal, para geração de emprego, combate à pobreza, formação de capital, absorção e desenvolvimento tecnológico.
O governante acredita que com o investimento público, o país irá progredir substancialmente, gerando emprego e riqueza. Acrescentou que, com isso, a indústria, o comércio e a agricultura, entre outros sectores da economia, desenvolvem-se rapidamente, com a implementação de infra-estruturas públicas, reduzindo, assim, os custos de produção, de operação e de manutenção nas suas actividades.

Modernização da IRCCOP
O director-geral do Instituto Regulador do Sector da Construção Civil e Obras Públicas (IRCCOP), Luís Filipe disse que a comemoração do 5º aniversário resume-se nos grandes objectivos do Executivo e incentivou a todos a fazer o melhor para que se alcance o sucesso.
O encontro foi preparado para apresentar o historial da regulação no sector da Construção e Obras Públicas, no quadro de uma perspectiva futura e recolher contributos de práticas internacionais de outros países.
Durante o encontro, foram apresentados vários painéis oportunos, com realce para a emissão automática dos alvarás, através de uma plataforma informática, os quais são impressos num papel antifraude, com diversos mecanismos de segurança que, doravante, impedem a sua falsificação.
O encontro foi considerado positivo, por ter reforçado a confiança que os agentes económicos depositam no Ministério da Construção e Obras Públicas, conforme demonstram as estatísticas apresentadas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade