Regiões

Obras no Luena chegam à periferia

As obras de requalificação da cidade do Luena, capital da província do Moxico, estão em bom andamento. Contemplam o melhoramento de passeios, jardins, iluminação pública, terraplanagem de vias e o estancamento de ravinas.

09/08/2019  Última atualização 17H26
Nicolau Vasco | Edições Novembro | Cuando-Cubango © Fotografia por: Principais infra-estruturas da capital da província do Moxico estão a ser reabilitadas

Os passeios e lancis antigos estão a ser destruídos e erguidos novamente. Cerca de 10 troços nos bairros Sinai Velho e Novo, num total de nove quilómetros já foram requalificados, e na segunda fase dos trabalhos, as estradas secundárias e terciárias dos bairros Calunjinji e Sambuatama serão igualmente reabilitadas.

O troço que liga a Tipografia à Escola Politécnica Superior do Moxico, numa distância de mais de dois quilómetros, também está a ser intervencionado, cujos trabalhos vão incidir no melhoramento das valas de drena-
gem e na colocação do tapete asfáltico da via.
Outro ganho que a população do Luena vai ter, com a execução destas obras, é a iluminação pública que já é uma realidade nos bairros Alto Luena e Social da Juventude.
Em face do surgimento de ravinas, que há décadas destroem residências e infra-estruturas públicas, estão a decorrer obras desde Maio último para a contenção das que têm grande dimensão nos bairros 4 de Fevereiro, arredores da cidade do Luena.
Apesar destes avanços, Luena continua a observar restrições no fornecimento da energia eléctrica devido à fraca capacidade das centrais térmicas locais. Para contornar a situação, está a ser montada uma nova central térmica com capacidade para gerar 20 megawatts, que deve entrar em funcionamento ainda este mês.
O fornecimento de água potável à cidade continua a ser titubeante. Apesar de ter um novo sistema de captação, que entrou em funcionamento em 2015, a quantidade de água que é distribuída não é suficiente para atender às 15 mil ligações domiciliárias da região.
Outro problema que in-quieta os habitantes é o saneamento básico. A única empre-
sa de recolha de resíduos sólidos não dispõe de capacidade para remover sistematicamente o lixo em toda cidade, particularmente nas zonas periféricas.
Luena debate-se também com o velho problema de escoamento de água para as valas de drenagem. No tempo chuvoso a cidade fica alagada porque o sistema de esgotos não funciona.
O vice-governador para o sector Técnico e Infra-estruturas, Manuel Lituai, disse ao Jornal de Angola que o Gover-no Provincial está a trabalhar para que a cidade capital do Luena proporcione bem estar aos habitantes. “Queremos ter uma cidade onde o cidadão sinta-se confortado, e para tal temos de reabilitar e construir as infra-estruturas básicas”.
“A requalificação da cidade”, acrescentou, “visa projectar nova imagem e resgatar a supremacia do Luena, quando foi considerada a capital da Zona Leste do país”.
O governante acredita que o trânsito ferroviário no Caminho -de- Ferro de Benguela, e a futura estrada transafricana que vai passar pela província, partindo da vizinha República da Zâmbia, vão proporcionar ao Luena condições para a exploração do Turismo.
“A montagem da nova central térmica, que arranca no próximo mês, as obras de terraplanagem do troço Luau/Ca-zombo e arredores da cidade, e estancamento de ravinas nos bairros Zorro e 4 de Fevereiro, fazem parte das principais obras de requalificação do Luena”, sublinhou.
O programa de obras na cidade do Luena comporta ainda a construção de uma escola com 27 salas de aula, o acabamento do edifício das direcções provinciais, construção e reabilitação de postos e centros médicos em todos municípios.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões