Cultura

Obras de Paulo Kussy no pavilhão de Angola

As “Idiossincrasias”, de Paulo Kussy, estão em destaque no pavilhão de Angola, na Expo Dubai 2020, e têm recebido recepção positiva dos milhares de visitantes, dispostos a conhecer um pouco mais da criação, a partir do “vazio”, das obras do artista angolano.

07/01/2022  Última atualização 07H45
Artista está a preparar novo trabalho para Fevereiro © Fotografia por: DR
A maioria das pinturas expostas, disse o artista, fizeram parte da sua mais recente exposição individual de pintura, apresentada no país. " O conceito das obras é partir de uma observação atenta da prática artística efectuada em atelier, tendo sempre o ‘vazio’, como base, permitindo criar, a partir da ausência de todo e qualquer referente visual”, explicou.

"Idiossincriasias”, destacou, é um assumir do seu "eu” enquanto artista, sem subterfúgios, sem amarras e sem compromissos. "As memórias dos primeiros momentos da minha infância em África, as viagens precoces para a Rússia, Europa e América, tiveram uma grande influência na criação do meu vocabulário plástico”, disse.

Como artista, adiantou, não tem usado os desenhos prévios, nem fotografias, ou imagens em movimento, para iniciar o processo criativo. "É algo peculiar e único em mim, o facto de, a cada gesto, a cada intervenção na tela, serem tomadas decisões sobre o que será representado por fim no espaço pictórico, sendo portanto algo que surpreende o próprio criador e o público fruidor das obras”, contou.

Cada linha do seu trabalho, acrescentou, serve de pretexto para um diálogo interior. "Abraço a minha total desorientação e evidente fascínio, nunca sabendo à priori que caminho seguirá a obra”, aclarou.

Geralmente, nos trabalhos, continuou, tem recorrido à imaginação e ao subconsciente, para resgatar as memórias e todo o aprendizado e competências adquiridas em áreas tão distintas como o desenho, geometria descritiva, arquitectura e anatomia humana e animal.

Este ano, o artista apresenta, em Fevereiro, na Galeria de Exposições Temporárias, do Pavilhão de Angola, na Expo Dubai, outras seis obras em acrílico sobre tela de grandes dimensões. "A essência do ser do artista, o modo de ver o mundo e a si mesmo deve resgatar emoções que possam eventualmente fazer alguma ressonância no público fruidor das artes plásticas em Angola e no mundo”, concluiu.

Natural de Luanda, Paulo Kussy  é professor de Artes Plásticas, de Desenho Artístico e de Geometria Descritiva, no curso de Arquitectura e Urbanismo. Licenciado em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, fez o Mestrado em Anatomia Artística na mesma instituição.

Participou em mais de 20 exposições individuais e colectivas, com realce para "Anatomilias I – Entre o Homem e a Máquina”, apresentada em Luanda, em 2010, exibiu quadros na World Expo Shangai, de 2010, e na Trienal de Luanda, em 2010.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura