Opinião

O sorriso da lucidez..

Tanzazuary Nkeita

Jornalista e Escritor

Há dias, fui a uma casa comercial de “Cópias e Impressão”, com uma aflição. Fazer fotocópias de urgência, para um expediente administrativo, algo que a pesada burocracia angolana, sempre a trabalhar a meio gás, se viciou a pedir aos utentes de serviços públicos. Mas nem é propriamente disso que queria falar!

17/04/2022  Última atualização 08H25
A maioria das casas que se dedicam a "Cópias e Impressão” têm o mesmo padrão e o mesmo visual, como marca distintiva do seu comércio. Quase todas estão pintadas de azul e branco, o que não deixa de ser uma forma inteligente de facilitar a procura, à distância, e de atrair a clientela. Numa cidade como Luanda, onde tudo é complicado, muitas delas vendem facilidades de internet, tiram fotos rápidas com fatos e gravatas ao gosto de cada freguês e imprimem livros de estudo ou monografias em escassos minutos. Um alívio, sobretudo para os estudantes oriundos de famílias sem grandes recursos financeiros.

E tinha eu acabado de dizer "É tanto papel que um dia vão nos exigir a fotocópia do sapato...”, quando um jovem passou pela porta do estabelecimento e gritou. Em voz alta e bastante ruidosa, desviando a atenção do que se ia conversando, disse:

- Fotocopiadoria..., fotocopiadoria! Parecia revoltado.

Lá dentro, alguns riram, mas sem humor.  Além de ter sido um riso da lucidez, e do cansaço, também entendi que era uma terapia. De facto, rir foi o remédio mais fácil, naqueles momentos, a medida mais eficaz para evitar gritar ou chorar. Um cliente frustrado dizia "Tira lá as tuas cópias daqui, está a ocupar espaço!”; e o outro só lhe olhou em silêncio com cara de quem não brinca. E uma luta quase surgia se a lucidez não nos fizesse rir!

A "fotocopiadoria” era o novo nome que o desconhecido deu à casa comercial onde se fazem, ou onde se tiram, não importa a diferença, centenas e centenas de "Cópias & Impressão”, para entreter a burocracia!

Desconhece-se a utilidade de tanto papel, mas o nome inédito fez despertar curiosidades, ao cair tão bem aos ouvidos dos clientes!

- Fotos & Copiadorias! Até os robustos sistemas informáticos, as bases de dados, os poderosos scanners, o bluetooth e o whatsapp dos smart phones da burocracia são incapazes de acabar com elas! Em cada processo, anexam-se dezenas de cópias. É tanta a exigência que as vezes recusam: "A preto e branco, não! As cópias têm de ser a cores.” Mandam em tudo. Ninguém manda neles!

Lá dentro, três grandes fotocopiadoras trabalhavam ruidosamente, sem parar, para alimentar o rentável negócio do seu proprietário. Abri os olhos e voltei a rir, agora de espanto. Nem as lavandarias rendiam tantos lucros.

Afinal, o nome e o serviço de "fotocopiadoria” estava a ser aplicado como uma cereja em cima do bolo. E rimava perfeitamente com outras facilidades de apoio à nossa aflição, e todas unidas na mesma poesia: lavandarias, hamburgarias, sapatarias, padarias, hospedarias, procuradorias e tantas mais coisas para rir!

E porque não "Fotocopiadorias", de hoje para frente?

"Fotocopiadoria, nós é que vos fazemos crescer”, talvez fosse isso o que quis dizer aquele jovem revoltado quando nos fez rir no momento em que uns queriam lutar. Haja lucidez!

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião