Regiões

O “resgate” da imagem da cidade do Huambo

Os principais jardins da cidade do Huambo, sede da capital da província homónima, nomeadamente do Largo da Casa dos Oficiais, do Serpa dos Santos, da Avenida Amílcar e do Bairro Académico, estão a beneficiar de obras de reabilitação, no quadro do programa de requalificação e melhoramento das zonas verdes.

28/03/2022  Última atualização 11H30
As terras do Planalto Central querem retomar os tempos do belo e de atracção turística © Fotografia por: Alfredo Kutabiala | EDIÇÕES NOVEMBRO

As obras de requalificação dos jardins, segundo explicações de Avelino Menezes, director municipal do Ambiente e Saneamento do Huambo, incidem na construção de novos canteiros, plantação de árvores e plantas, aplicação de relvas e montagem de postos de iluminação, bancos, com assentos de estrutura metálica e madeira, visando, disse, conferir uma imagem mais acolhedora nos distintos pontos da cidade.

"Há toda necessidade de criação de novas zonas verdes para, gradualmente, mudar o cenário actual destas zonas da cidade. Está previsto a construção, nas praças, de passeios com quatro metros e meio, que servirão para a prática de exercícios físicos, assim como de relaxamento das vendedoras, leitores e grupos de amigos”, sustentou.

Avelino Menezes, que não avançou o valor da reabilitação dos jardins, garantiu que as obras estão a ser feitas dentro dos padrões aceitáveis, de acordo com as normas estabelecidas, com vista a responder às exigências de execução, cuja empreitada conta com o apoio de técnicos com experiência na matéria de ambiente e saneamento.

No município do Huambo, lembrou, dos mais de quarenta largos existentes, apenas quatro estão em obras, sublinhando que, a curto prazo, os restantes serão também intervencionados, dentro de uma planificação financeira que está a ser elaborada e, posteriormente, submetida à decisão do governo da província.

Cadeiras e jangos   

No largo da Casa dos Oficiais, cujas obras começaram em Fevereiro, será, além da reestruturação e requalificação do jardim, montado catorze cadeiras de madeira, construído três jangos de lazer e espaços de venda, explicou Teixeira Anacleto, o encarregado da empreitada, sublinhando que foram gerados quinze postos de trabalho, na sua maioria jovens.

"Os cidadãos da cidade do Huambo, quando terminarmos os trabalhos, terão um excelente local para descansar e tomar um café”, destacou, acrescentando que, para a manutenção e conservação do largo, está previsto o pagamento de uma taxa simbólica de acesso, em que o valor será definido pela administração local.

Calisto Cassenje, morador do bairro do Camiliquinhento, enalteceu a iniciativa da administração municipal em dar sequência à requalificação dos espaços verdes, o que dará "uma boa imagem à cidade do Huambo”, disse, tendo salientado que, no tempo chuvoso, a maioria  dos largos  inundam e ficam  lamacentos, o que dificulta a  circulação de transeuntes. "O trabalho que está a ser realizado vai  ajudar  na melhoria  das  condições de embelezamento da cidade”, ressaltou.

A reabilitação dos largos, jardins e passeios, na cidade do Huambo, vai proporcionar "melhores condições de lazer aos jovens”, segundo disse o munícipe Mande Cequesse, tendo exortado o Governo da província a solucionar a problemática da iluminação da rede pública, assim como a reabilitação das ruas secundárias e terciárias.

A zona envolvente ao Centro Cultural do Huambo, um projecto de âmbito Central, encontra-se vedada e decorre, actualmente, a remoção de algumas árvores. Contactada a direcção provincial do Gabinete de Planeamento e Estatística do governo da província, para mais detalhes dos trabalhos em curso, não foi possível obter uma informação.

Saneamento

Entretanto, o administrador municipal do Huambo disse, há dias, em conferência de imprensa, que há trabalho no sentido de se ter uma província cada vez mais acolhedora. Para tal, um conjunto de acções estão em curso e que a sua materialização vai se reflectir positivamente a nível do melhoramento do saneamento básico da zona urbana, e  não só, passando pela colocação de mais meios e equipamentos de limpeza, assim como  na melhoria dos acessos a todas as zonas para permitir que a recolha dos resíduos sólidos se processe com mais facilidade e seja abrangente.

Além da questão ligada ao saneamento básico, o responsável apontou igualmente   as questões sociais como sendo prioridades da sua administração e possibilitar que o Huambo resgate o nome de "Cidade Vida”. Para o administrador, este deve ser um trabalho conjunto com a sociedade, pois a população deve manter o interesse em continuar a servir por via de uma nova mentalidade, a forma de olhar para a cidade e a tornar cada vez mais bela e atractiva.

Referindo-se aos bens públicos, apelou à valorização, "não permitindo a vandalização dos jardins e outros equipamentos sociais”. Como sublinhou, é preciso que todos, em união, possamos manter a cidade limpa, cuidar dos jardins, "tornando o Huambo mais verde, pelo que devemos lutar pela mesma causa social”.

Tatiana Marta e Juliana Domingos / Huambo

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões