Cultura

O melhor da canção de Luanda conhecido amanhã pelo público

Analtino Santos

Jornalista

O melhor intérprete da canção de Luanda é conhecido amanhã, às 21h00, numa gala que acontece no Palácio de Ferro, na capital, e coloca em disputa dez artistas, dispostos a vencer a 24ª edição do Festival da Canção, da Rádio Luanda Antena Comercial (LAC).

23/09/2021  Última atualização 09H05
Heróide dos Prazeres venceu a última edição do projecto que este ano se realiza no Palácio de Ferro © Fotografia por: Vigas da Purificação | Edições Novembro
O concurso, que este ano conta também com o apoio da TV Zimbo, tem como principal atracção um musical sobre o percurso da música angolana e suas nuances estéticas”.

Ao título de melhor e de sucessor de Heróide dos Prazeres, vencedor da edição passada, com o tema "Só no Olhar”, estão os artistas Glória da Lu, com "Mãe Diamante Lapidada”, Zinho dos Santos, com "Independência”, Edson Gomes, com "Poema para Luanda”, Wilmar Nakeni, com "Cale-se de mim”,  Gato, com "Falta de Sorte”, e Jowsah, com "Brilho”, todos intérpretes de composições próprias. Além destes, disputam o prémio Ngola Choir, com "Marcas”, composição de Nito Viola, Teide Costa, com "Canção da Terra”, de Nito Viola e Firmino Bândua, Bênção Neves, com "Avenida das Acácias”, de Né Gonçalves e Carlos Ferreira, e Guisleine Vuala, com o "Tempo parou”, de Livongue.

A temática desta edição do festival remete à qualidade da mensagem na produção musical angolana, como forma de destacar canções, de todos os géneros, cujo teor são únicos, mesmo estas não sendo tão comerciais. "Os letristas não se dizem poetas. Uma letra obedece a algumas necessidades diferentes de um poema”, explica a organização.

Os ensaios têm acontecido no Palácio de Ferro, sob a direcção artística de Nino Jazz, com o acompanhamento de uma banda na qual despontam nomes sonantes da nova geração de instrumentistas. Para a tradicional rapsódia vários nomes do mercado nacional foram convidados.

Este ano a TV Zimbo junta-se à LAC na produção, num concurso que oferece ao vencedor do grande Prémio da Canção de Luanda três milhões de kwanzas. O vencedor da categoria de melhor letra recebe 800 mil kwanzas, enquanto o melhor intérprete ganha 500 mil kz. A avaliação inclui ainda distinção a melhor produção, voz e o Prémio Lac Unitel, obtido do voto público.

Desde a primeira edição do Festival da Canção de Luanda, a LAC tem procurado apostar na inovação, realizando um espectáculo diferente, em que, às vezes, um convidado especial abre ou encerra a actividade. Outro facto de realce é que ao longo dos 24 anos, o festival já homenageou os músicos Carlos Lamartine, Paulo Flores, Tonito Fortunato e André Mingas.


O percurso

O musical deste ano, intitulado "O percurso da música angolana e suas nuances estéticas”, é realizado pela Companhia Enigma – Teatro, orientados por Tony Frampênio. O espectáculo mostra o percurso  da música angolana e o reflexo da poesia nas composições, numa peça que tem como base o poema "Namoro”, de Viriato da Cruz.

Durante 25 minutos, actores, dançarinos, músicos e outros "performers” vão entrar em cena, no palco do Palácio de Ferro, para cantar temas, de diversos estilos e épocas, entre os quais destacam-se "Olhos café” de SSP, "Balabina” de Filipe Mukenga, "Bolero do Rangel”, de Bonga, "Alucinação”, de Luandino Carvalho, "Maguy”, dos Impactus 4, "Regressa”, de Euclides da Lomba, "Kibuikila”, de Bangão, "Nguami Maka”, de Lulas da Paixão, "Tambululeleno”, de Sassa Tchokwe, "Ntoyo”, de Teta Lando, "Levanta o vestido”, dos Zona 5, "Astro da minha vida”, de Cristo, "Hipérbole”, de Yola Semedo, "País Novo”, de Matias Damásio, "Tchove Tchove”, de Ndaka Yo Wini, "Puro”, de Ana Joyce, "Cantei”, de Konde, e "Felicidade”, de Sebem.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura