Opinião

O Dia do Educador

Celebra-se hoje, em Angola, o Dia do Educador, uma data para reflexão em torno do estado actual do sector, da condição laboral e social dos seus principais intervenientes, das infra-estruturas, ao lado de outras preocupações permanentes.

22/11/2021  Última atualização 09H05
O Ensino, hoje, seguramente, tem exigências que, reconheçamos, nem sempre teve no passado recente, situação decorrente, obviamente, da diferença de contexto, evolução da sociedade e padrões que tendem a universalizar-se.

A conjuntura económica, social e até demográfica do país multiplicou as exigências para um sistema de educação que pretendemos adequado para Angola, na presente etapa da sua História.

Como defende a UNESCO, a educação continua como uma espécie de "tesouro por descobrir" e atendendo ao papel que a mesma tem no processo de modernização das sociedades, não há dúvidas de que importa que se invista nela.

Para a agência especializada da ONU os pilares em que assentam a Educação envolvem "aprender a conhecer e aprender a fazer que, por sua vez, consiste em mobilizar habilidades cognitivas para possibilitar fazer escolhas, pensar criticamente, solucionar problemas, actuar de maneira mais adequada e não confiar em modelos pré-existentes".

Os outros dois pilares envolvem "aprender a conviver e aprender a ser" em sociedade, premissas que só um sistema de Educação formal bom e competitivo, para a utilidade numa sociedade normal, poderá proporcionar, daí o papel vital da Educação em todo o lado.

Mais do que eventuais reclamações ou pontos de vista que tendem a encarar a Educação como fardo ou despesa que podiam ser evitadas, vale dizer que as variáveis opostas à educação como a ignorância, o analfabetismo, o desconhecimento resultante da escassez de informação, entre outros, obviamente, que custam mais caro do que todos os investimentos a favor do sector.

Investir no ramo pressupõe criar as condições, directas e indirectas, para uma vida mais sossegada e livre das amarras que, por exemplo, o analfabetismo e a ignorância produzem em várias sociedades.

As instituições do Estado procuram dar resposta aos desafios imediatos da Educação em Angola, não medindo meios para, em função da capacidade e limitação orçamental adequar o sector às exigências da nossa sociedade.

Num dia como este, acreditamos que são muitas as expectativas dos intervenientes no sector, entre professores e estudantes, ao lado de outros entes como os encarregados de educação e as instituições do Estado.

O importante é que o processo de concertação, diálogo e parceria, ao lado dos superiores interesses do país, continue a prevalecer em todas as abordagens, reflexões e processos de tomada de decisão.

Num dia como hoje, o Jornal de Angola associa-se a todos os entes que aproveitam a ocasião para felicitar os nossos educadores e reafirmar que é com eles que todos contamos para a modernização de Angola

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião