Mundo

Número de mortos em tsunami sobe para 1,2 mil

O número de vítimas no terremoto e no subsequente tsunami que atingiram na última sexta-feira (28) a ilha de Sulawesi, na região central da Indonésia, subiu para mais 1.203, segundo informou hoje (1) a - ONG Aksi Cepat Tanggap.

01/10/2018  Última atualização 19H18
DR © Fotografia por: Operações de socorro prosseguem em todas as regiões atingidas pelo fenómeno

Refere ainda o The Guardian que o acesso a equipamento que poderá ajudar a resgatar eventuais vítimas com vida é limitado, o que tem dificultado as operações de socorro.
O tsunami que se seguiu a dois sismos que abalaram a ilha de Célebes, com magnitudes de 6,1 e 7,5, deixou ainda os municípios mais afectados sem electricidade e sem água, já que o sistema de canalização da cidade também foi severamente afectado. Igualmente limitado é o acesso a combustíveis para as viaturas.
Recorde-se que o sismo mais forte  ocorreu a uma profundidade de 10 quilómetros, e a 56 quilómetros a nordeste de Donggala, na ilha de Célebes, segundo o centro geológico norte-americano (USGS, na sigla em inglês).
As autoridades indonésias reabriram ainda ontem o aeroporto de Palu, a cidade mais atingida pelo terramoto de magnitude 7,5 e de um tsunami, na sexta-feira, para acelerar a chegada de ajuda humanitária a milhares de vítimas.
Os voos comerciais serão limitados e as operações de emergência e de ajuda humanitária terão prioridade, num momento em que o último balanço oficial aponta para pelo menos 832 mortos, mais de meio milhar de feridos, 29 desaparecidos e 16.732 deslocados.
Há notícias de equipas de resgate que ouviram pessoas a gritar, presas nos escombros, bem como de pilhagens em Palu, enquanto a Cruz Vermelha Internacional veio sublinhar em comunicado que “é extremamente preocupante” não terem qualquer informação da outra cidade afectada, Donggala: A Força Aérea da Indonésia vai enviar dezenas de aviões Hercules, quatro aeronaves Boeing 737, cinco CN 295, duas aeronaves CN 235 e vários helicópteros para reforçarem o apoio às operações de resgate, humanitárias, nas evacuações e na logística.

Ajuda humanitária
A União Europeia (UE) vai avançar com 1,5 milhões de euros para prestar uma ajuda humanitária de emergência às vítimas do sismo e do tsunami que afectaram na sexta-feira a ilha indonésia de Célebes, foi ontem divulgado.
A ajuda do bloco comunitário vai servir para “fornecer bens essenciais como comida, abrigos, água, produtos médicos e de saúde”, referiu o comissário europeu para a Ajuda Humanitária e Gestão de Crises, o cipriota Christos Stylianides, citado num comunicado divulgado ontem.
A par desta ajuda, a Comissão Europeia enviou um perito para coordenar as equipas de socorro da UE destacadas no terreno e activou o serviço de emergência do satélite comunitário Copérnico para criar mapas das zonas afectadas.
O Centro de Coordenação e Resposta a Emergências da União Europeia “está a monitorizar atentamente os progressos e está pronto para canalizar mais apoio caso seja necessário”, acrescentou o executivo comunitário na mesma nota informativa.
“Os nossos pensamentos estão com todas as vítimas e com as equipas de socorro que trabalham em contra-relógio para salvar vidas”, concluiu o comissário europeu.
Muitos países enviaram condolências ao Governo da Indonésia.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo