Sociedade

Novos professores de Luanda assinam contratos de trabalho

Kátia Ramos

Jornalista

Um total de 560 jovens, admitidos ao primeiro emprego como professores, começou a assinar, esta quartafeira, em Luanda, os contratos de trabalho, informou a chefe do Departamento de Educação e Ensino, do Gabinete Provincial da Educação da capital.

04/08/2022  Última atualização 12H37
Nível da docência na capital do país vai melhorar com a entrada em serviço de novos quadros na área da Educação © Fotografia por: Armando Costa | Edições Novembro

Maria Noémia disse que os 560 novos professores, foram apurados no concurso público da Educação realizado o ano passado. Na altura, contou, eram 659 candidatos, mas destes alguns foram seleccionados como quadros do Ministério da Educação. "Esta é outra fase deste processo que inclui a assinatura dos contratos”.

Estes professores, adiantou, vão leccionar a 13ª, geralmente dado aos docentes do ensino primário, formados em magistério, especialmente nas várias disciplinas do primeiro ciclo.

Entre os novos professores há também, referiu, alguns  licenciados especializados, que vão ajudar a provir carências no domínio da formações em Inglês, Francês, Educação Física, ou cursos de Saúde, como Análises Clínicas, Radiologia e Estomatologia.

A assinatura dos contratos, explicou, decorre até à próxima terça-feira, dia 9, e o processo vai incluir os municípios de Belas, Cazenga, Cacuaco, Viana, Icolo e Bengo, Kilamba Kiaxi, Luanda e Kissama. "O município de Talatona é o único que não faz parte desta fase”.

Os trabalhos, esclareceu, decorrem de forma ordeira e sem sobressaltos. "A maior parte destes jovens conseguiu o primeiro emprego”, disse, além de explicar que destes, 250 já foram inseridos na primeira fase. "Estes novos docentes vão ter um seminário de indução pedagógica, com temas relacionados à prática docente,  a partir de segunda-feira, dia 8”. Depois deste processo, disse, os professores vão receber as respectivas guias de colocação, para que cada um possa iniciar as funções no posto de trabalho.

 

Candidatos

Sheila Lima, que concorreu pelo município do Cazenga, disse estar feliz com a assinatura do contrato. "É a minha terceira tentativa e consegui. Estou preparada para os novos desafios, aliás, formei-me para dar aulas e almejo com ansiedade o convívio com os alunos”.

Com a meta de agora trabalhar em prol do sector, a nova professora espera poder ajudar na falta de docentes, que se regista em algumas escolas de certos municípios da província de Luanda. "Já trabalho num projecto de responsabilidade social religioso, onde cuido de crianças, por isso a inserção como docente só é mais um acréscimo ao currículo”.

Ricardo da Cruz, outro dos novos professores, disse que sempre teve vocação para leccionar.

"Usava o quintal da casa dos meus pais para o tornar numa sala de aula, para alguns meninos em Viana, que estudavam no I e II ciclos do ensino primário e secundário. Dava explicações à eles sobre várias disciplinas”, adiantou o novo docente.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade