Sociedade

Novos equipamentos sociais anunciam mudanças no Bié

Poucos são os cidadãos que se mantêm alheios ao movimento crescente de homens e máquinas na sequência das obras inseridas no Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), em execução na província do Bié.

30/07/2020  Última atualização 09H16
João Constantino | Edições Novembro

Na cidade do Cuito, capital da província, a título de exemplo, sete novas empreitadas arrancaram há três semanas.

Orçada em mais de 400 milhões de kwanzas, a reabilitação e ampliação do Seminário Menor “Sagrado Coração de Jesus”, cujo prazo de execução é de 10 meses, afigura-se entre as primeiras. A colocação de asfalto nas ruas principais, terraplanagem nas estradas secundárias e terciárias, construção e apetrechamento de instituições escolares e hospitalares, consta das várias obras previstas em todos os municípios, algumas das quais encontram-se em fase de conclusão.

“Hoje podemos ver que a província está um verdadeiro canteiro de obras”, afirmou o vice-governador do Bié para os Serviços Técnico e Infra-Estruturas, José Tchatuvela, quando apresentava o “mapa” de construções previstas no PIIM diante dos membros de Conselho de Auscultação e Concertação Social local.

Crente na mudança, José Cassule, um dos munícipes ouvidos, realça o empenho das autoridades, mas aguarda o fim dos trabalhos para que possa fazer uma avaliação detalhada.

Segundo apurou o Jornal de Angola, até Junho do corrente ano, o “canteiro de obras” no Bié consumiu mais de dois mil milhões de kwanzas para cobrir despesas com 82 projectos de âmbito social, o que corresponde a 48 por cento do total das obras previstas.

O êxito final do programa não se circunscreve apenas na disponibilidade financeira, mas, acima de tudo, na responsabilidade e o sério compromisso dos empreiteiros e fiscais contratados, um apelo que o governador provincial tem feito reiteradas vezes.

“Para a boa execução das obras pelas quais foram contratados, será necessário todo o vosso profissionalismo e eficácia”, defendeu Pereira Alfredo, durante o recente encontro que manteve com os empreiteiros.

O encontro, que juntou o governador e os empreiteiros, visou, essencialmente, alinhar as premissas contidas no PIIM, nomeadamente, assegurar a execução com qualidade das empreitadas, criação de postos de trabalho para a juventude, capitalização das empresas, geração de impostos para o Estado, lançamento das bases seguras para o desenvolvimento e melhoria das condições de vida das comunidades. Na ocasião, Pereira Alfredo disse que o PIIM na província do Bié consagra a construção e reabilitação de infra-estruturas socio-económicas, bem como despesas de apoio ao desenvolvimento e o saneamento básico.

“A carteira do PIIM na província é composta por 167 projectos, das quais 149 de responsabilidade local e restantes da responsabilidade dos órgãos centrais”, disse.

Pereira Alfredo recomendou os empreiteiros e fiscais a pautar pelo cumprimento da Lei da Contratação Pública, qualidade técnica da obra, presença regular nas empreitadas e dos prazos de entrega.

Cinco mil novos empregos

Além de renovar a imagem da província, as previsões apontam que as obras do PIIM, no Bié, vão gerar cerca de 5 mil novos empregos directos. Os projectos já em execução, num total de 81, recaem nos vários sectores.

“Uma das principais incidências do PIIM, tem a ver com o plano de empregabilidade. Os dados que dispomos apontam que vai gerar milhares de novos empregos. São empregos decorrentes das empreitadas, que vão aliviar a questão do desemprego em cada um dos municípios onde as obras estiverem a ser executadas”, afirmou o governador Pereira Alfredo

A construção de duas pontes nos bairros Paraíso e Catemo, duas quadras desportiva, na Centralidade Horizonte e no bairro Caluco, respectivamente, o Projecto Habitacional das 500 casas e a conclusão da Academia de Música no Bairro Militar, consta da lista de obras em execução na capital do Bié. Os sectores da Energia e Água, Saúde e Educação não foram excluídos. Este último vai ser reforçado com 20 novas salas de aulas, para acolher perto de três mil novos alunos no próximo ano lectivo.

Cara nova no Chinguar e no Cuemba

Do conjunto de obras previstas, até ao presente foram consignados sete projectos no município do Chinguar.

Recentemente, o vice-governador para o sector Técnico e Infra-Estruturas, José Tchatuvela, testemunhou o início da terraplanagem dos 26 quilómetros no troço Chinguar-Cutato, a terraplanagem de 35 quilómetros no troço Cutato-Capeio e a construção de infra-estruturas integradas na sede municipal, avaliadas em mais de 800 milhões de kwanzas.

O mesmo acontece no Cuemba, município onde tem sido visível o empenho das autoridades provinciais em alavancar o seu desenvolvimento. Com prazo de conclusão definido entre seis a 12 meses, as obras em execução no Cuemba, num total de nove, estão orçadas em mais de mil milhões de kwanzas. A asfaltagem da rua da sede municipal, numa extensão de 10 quilómetros, terraplanagem de 162 quilómetros da via que liga as sedes comunais do Luando e Sachinemuna e a construção de uma escola de 12 salas de aulas fazem parte da lista de encargos do PIIM.

Instituto Médio Politécnico

Localizado a cerca de 150 quilómetros a sul do Cuito, o município do Chitembo vai ter o seu primeiro Instituto Médio Politécnico, anunciou o governador Pereira Alfredo, durante a cerimónia de lançamento da primeira fase das obras do PIIM naquela localidade.

Enquanto se aguarda o início das obras do instituto, os empreiteiros aceleram o passo para conclusão de duas escolas, uma quadra desportiva e a reabilitação do sistema de abastecimento de água nos prazos definidos. O Chitembo, que inicialmente contava com oito projectos inscritos no PIIM, vai beneficiar de um total de 12.

Nos municípios de Nharea, Cunhinga, Andulo, Camacupa e Catabola, com maior ou menor intensidade, as obras avançam. A terraplanagem nos troços Nharea-Caieie e Nharea-Dando, reabilitação e ampliação do Hospital Municipal de Nharea, da estrada que liga a sede do município do Cunhinga aos municípios do Cuito e do Andulo decorrem dentro dos prazos definidos. No âmbito do PIIM, o Cunhinga pode também contar com um centro materno infantil, uma escola de 12 salas de aulas e três pontes.

Em Camacupa, além da construção de duas escolas e asfaltagem das vias principais, o município vai ganhar um novo comando da Polícia Nacional. Por sua vez, a poeira que paira sobre a sede municipal de Catabola pode desaparecer em definitivo com o fim das obras de asfaltagem das ruas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade